1 evento ao vivo

Argentina confirma primeiro caso local de zika

26 fev 2016
13h17
  • separator
  • comentários

As autoridades de Saúde da província argentina de Córdoba confirmaram nesta sexta-feira o primeiro caso autóctone de zika no país, uma mulher que teria se contagiado após ter relação sexual com um homem que pegou o vírus na Colômbia.

"Se trata de uma mulher que não teve antecedentes de viagem. Além disso, na pesquisa epidemiológica, foi identificado o vínculo com um homem com antecedente de viagem à Colômbia, que apresentou sintomas compatíveis aos da doença", informou o Ministério da Saúde de Córdoba em comunicado.

Segundo o órgão, houve "um provável contágio através do contato sexual com o homem que esteve na Colômbia". Além disso, a análise da situação permite confirmar que este caso pontual não se deu no período de incubação necessário para o contágio através do vetor, o mosquito Aedes aegytpi.

"Essa conclusão, mais os dados clínicos presentes, levam a defini-lo como um caso autóctone com provável transmissão sexual, enquanto se continua a investigação do caso", indicou o Ministério da Saúde provincial.

A mulher apresentou os sintomas da doença e procurou um hospital público, onde obteve o diagnóstico de zika e a confirmação através do Laboratório Central de Córdoba. A paciente foi tratada e evoluiu favoravelmente, segundo o comunicado.

O homem com quem possivelmente teve contato esteve por um mês na Colômbia e dois dias antes de retornar à Argentina apresentou sintomas da doença, que persistiram ao chegar a Córdoba. Ele procurou um médico na Colômbia e foi diagnosticado com zika, mas não realizou a análise de laboratório para confirmar.

Córdoba já tinha reportado no início deste mês um caso importado de zika, um homem de 68 anos que tinha viajado para Ilha Margarita, na Venezuela. Outros dois casos importados de zika foram confirmados na Argentina, uma jovem colombiana residente em Buenos Aires que viajou a seu país e adoeceu lá e uma mulher de 21 anos que tinha viajado de férias à Colômbia.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade