publicidade

Baixo peso: saiba quando emagrecer pode ser perigoso

Estar abaixo do peso pode ser perigoso para a saúde
Foto: Getty Images
 
Juliana Crem

A balança é sempre malquista, principalmente pelas mulheres. A guerra é para fazê-la apontar números inferiores àquele que se enxerga. Mas, em alguns momentos, a balança pode mostrar estes números menores do que o esperado, anunciando que algo pode não estar bem com o organismo.

Um corpo abaixo do peso ideal pode esconder problemas de saúde como diabetes e hipertireoidismo, entre outros males, assim como pode acarretar distúrbios que chegam até mesmo colocar a vida em risco. Saber as causas e consequências do baixo peso é essencial para a manutenção da saúde e do bem-estar.

Não é o que parece
É senso-comum observar uma pessoa que está abaixo do peso e associar sua magreza à desnutrição. Todavia, nem todos os esquálidos estão, necessariamente, padecendo da falta de nutrientes. É preciso levar em consideração as características individuais de cada um, além do cálculo do Índice de Massa Corpórea (IMC), pois há quem apresente baixo peso e alta porcentagem de gordura no corpo e vice-versa. "O IMC é muito importante, mas temos que ter bom-senso e avaliar o biótipo de cada pessoa. Há mulheres, por exemplo, com uma estrutura mais forte, que vai fazer com que elas sejam mais pesadas e, nem por isso, estão acima do peso ideal", indicou Alfonso Massaguer, ginecologista e diretor clínico da clínica Engravida, de São Paulo (SP).

"A desnutrição geralmente é causada por uma dieta pobre em calorias e proteínas, ou por má absorção de nutrientes. Pode ser o somatório de várias causas, como sociais, psiquiátricas ou patológicas. Por isso, toda pessoa que está fora do peso ideal, tanto para mais quanto para menos, deve procurar um profissional capacitado para descartar uma condição mais séria", reforçou a naturopata holística Angela Freitas, do Babele Spa & Bem-Estar, da capital paulista.

Ponteiros em queda livre
O emagrecimento repentino deve ser sempre investigado. Afinal, doenças como hipertireoidismo, alguns tipos de câncer, diabetes tipo I, hepatite C, bulimia e anorexia nervosa podem levar à perda abrupta dos quilinhos nem sempre desejados. Ficar com um corpo esbelto é bacana, mas a saúde não deve ser comprometida, pois estas enfermidades são sérias e podem até mesmo levar à morte.

"Todo mundo quer um corpo perfeito, mas algumas pessoas desconhecem como fazer para alcançá-lo de maneira saudável", garantiu Angela. Isso porque a perda de peso também pode ser induzida por meio de dietas restritivas, que acabam comprometendo a saúde. Algumas das consequências que este emagrecimento súbito traz para o corpo são a amenorreia (ausência de menstruação), desbalanceamento hormonal, enfraquecimento de unha e cabelo, alterações do humor e do sono, mudança na cor da pele, queda da imunidade, entre outros. "O baixo peso é perigoso por si só, mas em mulheres, por exemplo, ele pode comprometer seriamente a fertilidade, porque os hormônios sexuais são derivados da gordura, do colesterol", contou Massaguer.

A idade também acaba influenciando a perda de peso. O ginecologista da clínica Engravida lembrou que, com o avanço dos anos, torna-se mais difícil perder peso espontaneamente, o que faz com que as atenções dobrem em caso de emagrecimento severo. Por outro lado, os distúrbios de autoimagem, como anorexia nervosa e bulimia, tendem a afetar os indivíduos mais jovens. "Nestes casos, a perda de peso extrema leva ao risco de morte por falha no funcionamento de alguns órgãos, visto que suas necessidades não são supridas", avisou a naturopata.

Contando nos dedos
Para descobrir se está com o peso ideal, é preciso se preparar para fazer o cálculo do IMC, estipulado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Este número leva em conta a altura e o peso da pessoa, de maneira generalizada, para determinar se o indivíduo está obeso, no peso ideal ou com sobrepeso. "A fórmula é a divisão do seu peso corporal pela altura, elevada ao quadrado, em metros", exemplificou a naturopata do Babele Spa.

Assim, lápis e papel na mão (ou calculadora): altura x altura / peso. O resultado demonstra como anda o relacionamento com a balança.

- abaixo de 16: desnutrição;
- entre 16,1 de 18,4: abaixo do peso;
- entre 18,5 e 24,9: peso normal;
- entre 25 e 29,9: sobrepeso;
- acima de 30: obesidade.

Tem volta
Ao perder muito peso em um curto período de tempo, é preciso investigar a causa do emagrecimento. A melhor maneira é procurando um médico para a realização de exames que apontarão a causa do baixo peso. "Também é interessante procurar um nutricionista para uma reeducação alimentar visando ao aumento da massa corporal. No caso dos transtornos alimentares, como bulimia e anorexia nervosa, ainda é indicado o acompanhamento terapêutico", sugeriu Angela.

Alfonso Massaguer afirmou que o estresse e a ansiedade também podem afetar a perda de peso, sendo indicadores de que o corpo precisa "pisar no freio". Para estes casos, Angela sugere terapias complementares, como acupuntura, florais, fitoterapia, cromoterapia, massagem holística, entre outras, para ajudar a sanar o problema.

Terra