Dietas

publicidade

Dieta da princesa Kate Middleton gera polêmica; veja prós e contras

Famosas como Penélope Cruz, Beyoncé e Kate Middleton teriam aderido ao metódo do Dr. Dukan para chegar às curvas perfeitas
Foto: Getty Images
 
Danielle Barg

As celebridades de Hollywood a adoram, os cientistas a investigam e os nutricionistas torcem o nariz. A dieta Dukan, que vem sendo apontada como a queridinha de muitas famosas, causa polêmica entre os especialistas. Ela insiste na promessa do emagrecimento rápido e sem sofrimento, mas limita a escolha de grupos alimentares em quatro fases distintas, com restrições mais rígidas nas duas primeiras partes.

O fato é que celebridades como as atrizes Penélope Cruz, Catherina Zeta-Jones, Sandra Bullock, a cantora Beyoncé, a top model Gisele Bündchen e, mais recentemente, a princesa Kate Middleton, apareceram alguns quilinhos mais magras dando todos os créditos ao método francês. Para conferir os prós e contras da dieta, o Terra conversou com alguns profissionais da área, que avaliaram a proposta e deram suas opiniões.

Para Sandra da Silva Maria, nutricionista funcional da Clínica Gastro Obeso Center, de São Paulo, dietas restritivas não respeitam o metabolismo individual das pessoas e, com isso, geram vários distúrbios alimentares. "Notei um desequilíbrio na primeira fase, composta apenas de proteínas, pois seu excesso pode elevar a produção de corpos cetônicos, ocasionando o mau hálito, além de ser tóxico pelo aumento da amônia", afirma.

Ela reitera que o aumento protéico pode influenciar no funcionamento do intestino, causando gases e redução da absorção de nutrientes. Renata Padovani, pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação da Unicamp, também olha para esta primeira fase da dieta com certa desconfiança: "é pobre em carboidratos e não atinge a recomendação diária para um adulto, que é de 100g (para 50% da população) para o perfeito funcionamento cerebral", ela observa.

A nutricionista acredita que o método não propõe a quantidade suficiente de frutas e verduras, que atuam como antioxidades, e diz que pode precipitar problemas renais, como cálculos, além de provocar irritação e dores de cabeça. "Pessoas com qualquer problema metabólico não devem se submeter a esta dieta, como diabéticos, hipertensos, pacientes com alteração da função renal e ácido úrico."

Por outro lado, alguns pontos positivos foram apontados pela nutricionista do Hospital São Luiz, Mirian Nogueira Martinez. Segundo ela, a dieta estimula o consumo de alimentos integrais, a diversidade de fibras e líquidos. No entanto, pode contribuir para o tão temido efeito sanfona: "quando as restrições deixam de existir, a pessoa não foi apresentada à um modelo de reeducação alimentar e tende ao ganho de peso novamente."

A especialista acredita que a dieta se tornou popular por mostrar retorno: "a dieta vem fazendo sucesso, pois realmente leva à perda de peso de forma rápida e intensa, e isto é o que a maioria das pessoas procura, emagrecer sem sofrimento. Mas é preciso ter consciência sobre as fragilidades da sua dieta e hábitos para promoção de um estilo de vida saudável", aconselha.

Saiba mais sobre a dieta Dukan
A proposta do Dr. Pierre Dukan é que as pessoas emagreçam naturalmente com uma alimentação fundamentada nos alimentos fundadores da espécie humana: as proteínas e os legumes, tudo à vontade. Sendo assim, a divisão é a seguinte:

Fase 1: o início da dieta é conhecido como "ataque", com sinal verde para proteínas sem gordura como carnes magras, peito de peru, frango e peixe, em quantidades ilimitadas. Também inclui farelo de aveia, queijo, iogurte e leite sem gordura, clara de ovo, café e chá (sem açúcar) ou refrigerantes zero. É recomendado o consumo diário de dois litros de líquidos e uma colher e meia de farelo de aveia. A duração dessa fase é de dez dias.

Fase 2: liberados verduras em legumes, com exceção dos ricos em carboidratos, como a batata. Essa fase só termina quando a pessoa chega ao peso ideal.

Fase 3: esta é a etapa batizada por Dukan de "consolidação", na qual se repete o cardápio da fase 2, acrescentando duas fatias de pão por dia e duas porções de massa por semana. A parte boa é que, nesta etapa, a dieta permite duas "porções de comemoração" semanais, na qual se pode comer o que quiser.

Fase 4: esta é a fase de estabilização, na qual tudo é permitido, sempre com bom senso. No entanto, uma vez por semana é necessário retornar a primeira fase. Indica-se um litro e meio de água por dia, além de três colheres de farelo de aveia e 30 minutos de exercício físico.

Na mira dos cientistas
Foram divulgados recentemente os resultados de uma pesquisa conduzida pelo grupo CCM Benchmark, que buscava investigar os efeitos da dieta Dukan alguns anos depois de ter sido feita, segundo informações da agência EFE.

Respondido por cerca de cinco mil internautas, o levantamento mostrou que 75% das pessoas que fizeram o regime há mais de dois anos já recuperaram os quilos eliminados. A publicação dos números visava ampliar a consciência sobre os regimes restritivos e, de acordo com um dos profissionais envolvidos no estudo, os resultados denotam "eficácia a curto prazo".

Clique na aba de fotos e confira as celebridades que experimentaram o método francês.

Especial para Terra