publicidade

Pessoas que leem os rótulos dos alimentos seriam mais magras

Equipe encontrou diferenças entre os consumidores que leem os rótulos e as que não leem
Foto: Getty Images
 

Uma equipe de cientistas da Universidade de Santiago de Compostela garante que a leitura de rótulos dos produtos alimentares está ligada à prevenção da obesidade, especialmente em mulheres. De acordo com o estudo, que usou dados dos Estados Unidos, os consumidores do sexo feminino que consultam os rótulos dos alimentos pesam cerca de 4kg a menos do que as que não leem.

Junto com as Universidades de Tennessee, nos EUA, e do Norwegian Institute for Agricultural Finance Research, a Universidade de Santiago de Compostela participou de um estudo sobre a relação entre a leitura do rótulo dos alimentos e obesidade.

Os resultados indicaram que o índice de massa corporal dos consumidores que leem esse rótulo é 1,49 pontos menor do que aqueles que nunca consideram tais informações ao fazerem suas compras. Isso se traduz como uma redução de 3,91 kg para uma mulher americana que mede 1,62 e pesa 74kg.

Cerca de 25.640 foram coletadas sobre saúde, hábitos alimentares e comerciais. Estes incluíram várias perguntas sobre se os participantes liam a informação nutricional em supermercados e quantas vezes.

"Primeiro analisamos qual era o perfil de quem lê o rótulo nutricional e, depois, fizemos o relacionamento com o seu peso", explicou María Loureiro, principal autora do estudo publicado no jornal Agricultural Economics.

"A obesidade é um dos problemas de saúde mais graves nos EUA", descreveu a pesquisadora. "O número de adultos com sobrepeso ou obesidade tem aumentado ao longo dos anos. De 2009 a 2010, mais de um terço (cerca de 37%) da população adulta no país eram obesos. Em crianças e adolescentes esse número sobe para 17%.

O estudo também mostra que a população fumante presta muito menos atenção a isso. De acordo com a pesquisadora, "o seu estilo de vida envolve hábitos menos saudáveis e, como consequência, poderia ser este o motivo pelo qual eles não estão tão preocupados com o conteúdo nutricional dos alimentos que comem", acrescentou.

Levando em consideração o sexo, 58% dos homens ou habitualmente ou sempre leem as informações contidas dentro de rótulos nutricionais. No entanto, esta percentagem é de 74% para as mulheres.

"Em geral, o impacto associado é maior entre as mulheres do que os homens", acrescenta a pesquisadora. Em média, as mulheres que leem a informação nutricional têm um índice de massa corporal de 1,48 pontos mais baixos, e apenas 0,12 pontos nos homens.

Terra