publicidade

Conheça os principais vilões da alergia alimentar

Os sintomas mais comuns de reação alérgica a alimentos são diarreia e cólica
Foto: Getty Images
 

Esta situação é mais corriqueira do que parece. Ao ingerir determinado alimento, sintomas desagradáveis como diarreia, coceira, tosse e chiado no peito começam a aparecer. Esses são os principais efeitos da alergia.

De acordo com médica Neusa Falbo Wandalsen, coordenadora do Setor de Alergia e Imunologia Clínica do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina do ABC, a alergia nada mais é do que a resposta de um indivíduo a determinadas substâncias, que normalmente são inofensivas para outros. Isso ocorre, por exemplo, em uma festa em que todos comeram camarão, mas apenas uma pessoa apresentou coceiras e manchas vermelhas na pele. Trata-se de resposta alérgica e a pessoa em questão apresentou urticária.

A médica alerta que não é possível classificar o tipo de alimento e sintoma alérgico causado, pois variam muito para cada paciente. Nas alergias alimentares, os principais são digestivos e intestinais, como diarreia, cólica, dor abdominal e obstipação intestinal; cutâneos, como urticária e eczema (inflamação da pele com muita coceira e placas avermelhadas, com ressecamento e crostas); anafilaxia, também chamado de choque anafilático, um episódio grave que reúne sintomas como falta de ar, queda da pressão arterial e inchaço; e respiratórios, mais raros, mas que aparecem em forma de tosse e chiado no peito.

De acordo com Melissa Carpi, engenheira de alimentos da Jasmine Alimentos, as pessoas frequentemente apresentam mais de uma dessas manifestações ou as mesmas vão se alternando. Por exemplo, na infância o principal sintoma é a diarreia; na adolescência, rinite; e no adulto, coceira na pele.

A primeira medida terapêutica é chegar a um diagnóstico correto. Para isso, são realizadas avaliações clínicas e laboratoriais completas, que englobam testes alérgicos, consultas ambulatoriais e exames de sangue específicos para pesquisa de alergias. Depois, conhecendo-se as causas, o próximo passo é afastá-las o mais completamente possível. “No caso de substâncias inalantes fica mais difícil, porque as pessoas transitam por outros locais além da sua casa, como escola, ônibus, locais de trabalho etc”, afirma a Neusa.
 
Tratamento
O tratamento medicamentoso vem a seguir, e depende do tipo da alergia. Anti-histamínicos, higiene nasal e corticosteroides tópicos são indicados para a rinite. Em crianças, são necessários alguns cuidados, como higiene nasal mais frequente, maior ingestão de líquidos, remédios apropriados para a faixa etária, atenção às infecções secundárias ao processo alérgico e prevenção com as vacinas disponíveis. “As vacinas de alergia são eficazes quando bem indicadas e na impossibilidade de se afastar os alérgenos da vida do paciente. São indicadas para o tratamento de asma, rinite, conjuntivite alérgica e alergias a insetos picadores, como abelhas, vespas e formigas”, explica Neusa Falbo.

Vale ressaltar que quando se trata de uma alergia a medicamento é preciso sempre alertar o médico, mesmo que você esteja tratando de outro problema. E jamais se automedicar.

Intolerância
A alergia alimentar é uma reação causada por um mecanismo do sistema imunológico, ou seja, do sistema de defesa do organismo que o defende de forma errada e causa uma doença. Já a intolerância alimentar caracteriza-se pelas reações não causadas por mecanismos imunológicos e dependem das propriedades farmacológicas do alimento ou das características do paciente. Por exemplo, quem tem intolerância à lactose apresenta na verdade uma reação ao açúcar do leite por falta da enzima lactase no organismo. A lactase ajuda a digerir a lactose e sem ela ocorrem má digestão e diarreia.

O endocrinologista Alfredo Cury, do Spa Posse do Corpo, afirma que não é sempre que é preciso banir determinado alimento da dieta. Por isso, ele sugere composições com menos teor de lactose, encontradas com certa facilidade no mercado.

A seguir veja os principais alimentos que causam alergias alimentares.

1. Leite
Cerca de 90% dos casos de alergia alimentar estão relacionados ao leite de vaca e surgem na infância precoce. Ao contrário da intolerância à lactose, distúrbio que envolve apenas a deficiência de uma enzima, a alergia às proteínas do leite envolve uma resposta maior do sistema imunológico. Tal resposta pode ser imediata (os sintomas aparecem poucas horas após o consumo) ou tardia (os sinais podem levar de três horas a três dias para aparecer). A alergia tardia ao leite de vaca é a mais comum e, por seus sintomas aparecerem muito tempo depois do consumo do alimento, tem seu diagnóstico bastante dificultado.

2. Ovo
A albumina, proteína do ovo, é usada em marshmallows, comidas congeladas e outras misturas para alimentos. A clara também está entre os principais alimentos alérgenos.

3. Trigo, aveia, cevada e centeio
O glúten presente nesses alimentos pode causar alergia a crianças portadoras de doença celíaca.

4. Peixe
O peixe estragado apresenta altos teores de histamina (que causa reação alérgica intensa), mesmo antes que haja alteração do sabor.

5. Frutos do Mar
Caranguejo, lagosta e camarão podem desencadear reações severas de alergia. Na China, por exemplo, ocorrências alérgicas pela ingestão de camarão são as mais comuns.

6. Tomate
A reação alérgica a tomate está normalmente associada ao uso muito frequente desse alimento na dieta.

7. Frutas cítricas
Pessoas alérgicas a frutas cítricas podem facilmente apresentar carência de vitamina C.  Nesse caso, é preciso recorrer a uma fonte suplementar dessa vitamina.

8. Refrigerante à base de cola e chocolate
A sensibilidade a esses alérgenos é facilmente identificada.

9. Leguminosas
Soja, ervilha e feijões também estão na lista dos alimentos que mais podem causar alergias.

10. Milho
O milho, além de outras fontes como amido de milho, óleo de milho e farinhas à base do grão podem acarretar problemas alérgicos.

11. Castanhas e amendoim
Quando não controladas, as aflatoxinas presentes nestes alimentos podem causar reação alérgica.

12. Temperos
Entre as principais especiarias da culinária, a canela é um alérgeno comum.

13. Aditivos alimentares
Corantes, conservantes e aditivos artificiais são alérdenos. Sulfitos, aditivos muito comuns utilizados em picles, cervejas, vinhos, refrigerante de cola, frutas e vegetais secos, cerejas ao marrasquino, batatas secas ou congeladas também podem provocar reações alérgicas.

14. Fermento natural
O fermento natural, muito presente em pães, também pode trazer reações alérgicas no organismo.

Consultoria: Profissionais entrevistados

Ponto a Ponto Ideias