2 eventos ao vivo

Diferentes doses de café ajudam a prevenir doenças

  • separator

O café está em alta! Prova disso são os diversos estudos relacionando os benefícios da bebida com a saúde, divulgados nesta terça e quarta-feira (17 e 18) pelo jornal britânico Daily Mail.

Rico em antioxidantes, o café ajuda a prevenir doenças
Rico em antioxidantes, o café ajuda a prevenir doenças
Foto: Getty Images

Segunda bebida mais consumida em todo o mundo, perdendo espaço apenas para a água, o café pode colocar a saúde em risco pelo excesso de cafeína, mas também pode ajudar no combate de doenças como câncer e demência. Tudo vai da quantidade de café ingerida diariamente.

Uma xícara
Um estudo grego com 485 pessoas entre 65 e 100 anos mostrou que ingerir uma única xícara de café por dia pode ajudar a reduzir a pressão sanguínea, porque as artérias ficam mais saudáveis. Os pesquisadores acreditam que os antioxidantes do café aumentem a produção de óxido nítrico, um composto encontrado naturalmente no corpo e que ajuda a relaxar as paredes das artérias, diminuindo a pressão arterial.

Uma única xícara de café por dia pode ainda melhorar o funcionamento cerebral. Cientistas da Bristol University, na Inglaterra, estudaram 600 pessoas e descobriram que os que ingeriam café regularmente se saíram melhores em testes do que aqueles que não consumiam a bebida ou preferiam a versão descafeinada. "A cafeína faz com que mais açúcar chegue ao cérebro, dando energia extra ao órgão e proporcionando um aumento temporário da capacidade cognitiva", explicou Sarah Schenker, nutróloga.

Pessoas sensíveis à cafeína, mesmo com uma única xícara de café podem demorar para pegar no sono, pois a substância leva oito horas para ser totalmente eliminada do organismo.

Duas xícaras
Segundo cientistas da Universidade da Flórida, essa quantidade ajuda a manter o Alzheimer longe. O estudo ainda não foi realizado em humanos, mas as descobertas sugeriram que cerca de 200mg de cafeína - ou duas xícaras de café - por dia ajudam a prevenir o surgimento de algumas proteínas cerebrais conectadas à perda de memória ligada à doença e à demência.

Duas xícaras de café meia hora antes dos exercícios físicos também melhoram a performance dos atletas, disse um estudo publicado no International Journal of Sports Medicine. Todavia, gestantes devem limitar a ingestão de café a apenas duas xícaras porque a cafeína ajuda a elevar hormônios do estresse, como adrenalina e cortisol, que podem aumentar as chances de aborto.

Três xícaras
Em 2008, o periódico médico American Medical Journal Cancer informou que três xícaras de café por dia são suficientes para reduzir em até 1/5 os riscos de desenvolver câncer de ovário, especialmente em mulheres que nunca tomaram pílula anticoncepcional. E outra pesquisa, divulgada no Journal of American Medical Association, sugeriu que homens que ingerem esta quantidade de café teriam 40% menos chances de ter pedras na vesícula.

Em 2006, outro estudo norte-americano destacou que mais de três xícaras de café por dia poderiam aumentar a chance de ter um ataque cardíaco, por causa do aumento de cafeína, que faz o coração bater mais rápido e aumenta a pressão arterial.

Esta mesma quantidade de café, segundo pesquisadores da Lund University, de Estocolmo, seria capaz de reduzir o tamanho das mamas de algumas mulheres. O efeito da cafeína no estrogênio seria o responsável pela redução das medidas.

Quatro xícaras
Por ser rico em polifenóis, um tipo de antioxidante, o café é ligado à prevenção de cânceres. E esta seria a quantidade ideal para providenciar os benefícios destes nutrientes no organismo. Cientistas da Universidade de Utah descobriu que pessoas que bebem quatro xícaras de café por dia tem 39% menos chances de ter câncer na boca e na laringe. Outros estudos propuseram que esta dose de café previne cânceres de próstata, mama, colo e reto e diabetes tipo 2.

Como efeito colateral, pessoas que ingerem essa quantidade de café têm duas vezes mais chances de desenvolver artrite reumatoide porque a cafeína pode aumentar compostos do corpo que levam à inflamação das juntas.

Cinco xícaras
No Centro Nacional do Câncer de Tóquio (Japão), cientistas analisaram 90 mil pessoas de meia idade por dez anos e descobriram que esta quantidade de café por dia pode reduzir em 3/4 o risco de danos renais. Os antioxidantes da bebida seriam os responsáveis pelo efeito protetor.

Muitas outras pesquisas contestaram os japoneses, dizendo que cinco xícaras de café pode colaborar com o surgimento de osteoporose, visto que a cafeína interfere na absorção de cálcio pelo organismo. Entretanto, a Sociedade Nacional de Osteoporose norte-americana destacou que não há evidências conclusivas de que o café possa prejudicar os ossos, mas avisou que cinco xícaras de café - e mais nenhuma - seriam consideradas uma dose segura.

Seis xícaras ou mais
Depois de analisar 90 mil mulheres, cientista das Wayne State University, nos Estados Unidos, destacaram que seis ou mais xícaras de café por dia podem reduzir em 31% as chances de ter câncer de pele. Ao mesmo tempo, há quem diga que esta dose poderia causar desidratação, aumentar os hormônios do estresse, irritar o intestino e causar problemas cardiovasculares.

Outro estudo, da Universidade de Harvard, acompanhou quase 50 mil homens e constatou que aqueles que bebem seis xícaras ou mais de café reduzem em 20% as chances de desenvolver tumores malignos de próstata. Esse número aumenta para 60% quando comparados aos homens que não ingerem a bebida - e o café descafeinado também mostrou-se efetivo.

Veja também:

Venezuela: os trabalhadores da saúde com salários de US$ 4 por mês e sem equipamentos de proteção
Fonte: Terra
publicidade