Gestação

publicidade
10 de maio de 2012 • 09h32

Cistos nos ovários são parte das causas de infertilidade

Doenças e problemas nos ovários, como os cistos, atingem boa parte das mulheres em idade reprodutiva e, se não tratados em tempo, podem levar à infertilidade
Foto: Shutterstock / Especial para Terra
 

Doenças e problemas nos ovários, como os cistos, atingem boa parte das mulheres em idade reprodutiva e, se não tratados em tempo, podem levar à infertilidade. Essas alterações afetam a capacidade de engravidar de diversas maneiras, segundo Renato Fraietta, especialista em reprodução humana da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp): diminuindo a quantidade e qualidade dos óvulos, alterando a anatomia pélvica, gerando aderências e dificultando o transporte de óvulos, espermatozoides e embriões.



A maioria das mulheres que menstrua regularmente provavelmente ovula a cada ciclo menstrual. "Entretanto, aquelas que apresentam menstruação irregular, ou até mesmo ausência total de menstruação, podem ter problemas ovulatórios", diz Daniel Suslik Zylbersztejn, médico do Setor Integrado de Reprodução Humana da Unifesp.



A irregularidade menstrual é um dos principais sintomas da síndrome dos ovários policísticos (SOP), que é o crescimento anormal dos cistos e o aumento do órgão. Mulheres com SOP chegam a permanecer meses sem menstruar, apresentam uma grande quantidade de pelos, excesso de oleosidade na pele e acne. Também têm diminuição da fertilidade devido à dificuldade de ovulação.



Os casais que apresentam a disfunção ovulatória como único fator de infertilidade conjugal podem se beneficiar do tratamento com medicamentos que regularizam o ciclo menstrual. Entretanto, "muitas vezes o ovário é resistente ao tratamento via oral, por isso, se o casal deseja uma gravidez, a reprodução assistida por ser uma das soluções", afirma Zylbersztejn.



Cistos

A presença de cistos simples nos ovários é muito comum em mulheres na idade fértil. Pílulas anticoncepcionais, por exemplo, são usadas na regulação dos ciclos menstruais e no desaparecimento desses cistos.



De acordo com Fraietta, existem vários tipos de cistos: os funcionais (que toda mulher tem e forma em todo ciclo menstrual), os cistos de corpo lúteo (pós-ovulação), os hemorrágicos, os relacionados à endometriose e os tumorais. "Estes dois últimos podem levar à infertilidade e merecem um acompanhamento especial", afirma.



Além de todas essas disfunções, há também casos de mulheres que têm síndromes de origem genéticas. "Não é possível corrigir o defeito genético, mas é possível uma gravidez usando o óvulo de uma doadora", diz Fraietta.

Cross Content