publicidade
10 de abril de 2012 • 09h16

Conheça passo a passo o processo da fertilização in vitro

A fertilização in vitro (FIV), conhecida como o método do "bebê de proveta", é um procedimento considerado de alta complexidade, mas bastante seguro e eficiente
Foto: Dreamstime / Especial para Terra
 

Uma das técnicas de reprodução assistida mais utilizadas, a fertilização

in vitro

(FIV), conhecida como o método do "bebê de proveta", é um procedimento considerado de alta complexidade, mas bastante seguro e eficiente. É o médico especialista quem deve escolher a técnica de auxílio a ser utilizada no caso de casais com problemas para engravidar. Para chegar ao diagnóstico e ao melhor tratamento, pedirá uma série de exames, que vão mostrar ao especialista a gravidade do caso.



O ginecologista e obstetra especialista em reprodução humana Geraldo Caldeira, do Hospital Santa Joana, de São Paulo, explica passo a passo como é a técnica de fertilização

in vitro

.



1) Os exames

O tratamento se inicia com os exames para o diagnóstico da infertilidade. Depois de analisar os resultados, o médico vai constatar se de fato o melhor caminho para o casal é o procedimento de fertilização

in vitro

(FIV).



O procedimento de fertilização

in vitro

se inicia junto do ciclo menstrual da mulher. Primeiramente, ela vai à clínica para ser submetida a uma ultrassonografia. Durante o exame, o médico vai identificar se tudo está em ordem com o útero, as trompas e os ovários.



2) Medicação

Feita a ultrassonografia, a paciente é submetida à medicação. "A estimulação ovariana é feita diariamente por meio de injeções subcutâneas. Em média, são de oito a nove dias de medicação. Paralelamente, a cada três ou quatro dias, vamos fazendo ultrassonografias para medir o número e tamanho dos folículos", explica Caldeira.



Segundo o médico, quando os folículos chegam a 18 milímetros, eles já estão maduros e está chegando a hora de fazer a retirada dos óvulos. "Quando chega esse momento, nós injetamos na paciente uma medicação que completa a maturação do óvulo. A coleta do óvulo é feita 36 horas após a tomada do medicamento", esclarece o especialista.



3) Retirada dos óvulos

Para retirar os óvulos da paciente, ela é submetida a uma punção. Antes do procedimento, ela será sedada com um anestésico para que não sinta a leve picada da agulha da punção.



Depois de retirado os óvulos, eles vão para as mãos do biólogo e para a fertilização no laboratório. A paciente fica de repouso por aproximadamente 30 minutos até passar o efeito anestésico.



4) Os espermatozoides

O marido vai até a clínica para fazer a coleta dos espermatozoides. Após a coleta, o sêmen passa por um processo de "limpeza" e é feita a seleção dos melhores espermatozoides.



"No caso de homens que tenham passado por uma vasectomia, a coleta é feita por meio de uma punção no testículo", diz o ginecologista.



5) Fecundação

Quando a fertilização

in vitro

é a da modalidade "clássica" (a mais comum), depois de colhido os óvulos e os espermatozoides, o biólogo coloca os dois para ¿namorar¿, ou seja, os coloca em um mesmo espaço e espera que um dos espermatozoides selecionados alcance o óvulo. No caso na FIV por inseção introplásmatica de espermatozoide (ICSI), o espermatozoide é colocado diretamente dentro do óvulo pelo biólogo. Feita a fecundação, o biólogo observa diariamente a evolução dos embriões.



6) Transferência dos embriões

De acordo com o especialista, os embriões são transferidos para o útero da mulher cinco dias após a retirada dos óvulos. "Independentemente do método, sempre que possível transferimos os embriões no quinto dia após a coleta, quando eles estão na fase de blastocistos. Mas existem casos em que a transferência tem que ser feita antes, pois os embriões não estão na qualidade esperada", conta Caldeira.



Os embriões são transferidos por meio de um cateter que é inserido no colo do útero da mulher. Uma resolução de 2010 do Conselho Federal de Medicina determina o número máximo de embriões que podem ser transferidos: dois, para mulheres com até 35 anos; três, para mulheres entre 36 e 39 anos; e quatro, para aquelas com 40 anos ou mais.



7) O teste de gravidez

Depois de cerca de 12 dias da transferência dos embriões para o útero, a paciente retorna à clínica para fazer um exame de sangue que vai constatar se ela está grávida ou não. Caso a gravidez seja diagnosticada, uma semana após o teste a mulher vai fazer uma ultrassonografia para uma segunda confirmação. Daí em diante, fará todo o acompanhamento médico previsto em uma gravidez normal.



Cross Content
Especial para o Terra


Terra