publicidade

Sexo na gravidez não ajuda a adiantar o trabalho de parto

Os índices de parto induzido são parecidos em grávidas que tiveram ou não relações sexuais
Foto: Getty Images
 

As mulheres no fim da gestação que estão ansiosas para entrar em trabalho de parto costumam apostar em alguns truques, como comer pimenta e ter relações sexuais. Mas, de acordo com uma pesquisa da Universidade da Malásia, divulgada pelo jornal Daily Mail, o sexo não ajuda a adiantar as contrações.

Os pesquisadores analisaram mais de 1,1 mil grávidas a partir da 35ª à 38ª semanas (a gestação normal dura 40 semanas), que não haviam transado nas últimas seis semanas. Metade foi aconselhada por um médico a praticar sexo com frequência para adiantar o parto com segurança. Ao restante, foi dito que relações sexuais eram seguras durante a gestação, mas que seus efeitos sobre o trabalho de parto eram desconhecidos.

Constatou-se que 85% das incentivadas a ter relações sexuais seguiram o conselho do médico, enquanto 80% das outras também transaram. A diferença esteve na frequência, enquanto o primeiro grupo transou três vezes o segundo fez sexo duas vezes. No entanto, as taxas de parto induzido foram semelhantes: 22% e 20,8%, respectivamente. De maneira geral, a gravidez durou, em média, 39 semanas.

Ponto a Ponto Ideias