Gestação

publicidade
01 de maio de 2012 • 09h15

Tratamento de fertilização consome tempo do dia a dia

O tratamento de fertilização in vitro (FIV) demora cerca de 15 dias, mas exige várias visitas da paciente à clínica
Foto: Shutterstock / Especial para Terra
 

A fertilização

in vitro

(FIV), ou técnica do "bebê de proveta", consome um tempo considerável da rotina da mulher. Apesar de o tratamento ser feito em cerca de 15 dias, a paciente terá que se deslocar até a clínica em média de três em três dias. Durante as consultas, que duram aproximadamente 30 minutos, ela fará as ultrassonografias transvaginais (para acompanhar o desenvolvimento dos óvulos) e vai receber orientações para aplicação dos medicamentos da estimulação ovariana. Para não atrapalhar a rotina profissional, boa parte das pacientes busca horários alternativos.



Durante os 15 dias de tratamento, a paciente vai se submeter à estimulação ovariana, que é feita por meio de medicamentos, às ultrassonografias, à aspiração dos óvulos e à transferência dos embriões. Passado o tratamento, a mulher faz os exames para saber se engravidou.



Segundo Michele Quaranta Panzan, especialista em ginecologia endócrina e reprodução humana e diretora da clínica Michele Quaranta Panzan, de São Paulo, a maioria das pacientes não revela em seus locais de trabalho que está passando por tratamento de reprodução assistida. "Elas vêm à clínica nos primeiros horários do dia, perto do almoço ou depois do expediente. A grande maioria das pacientes não abre essa informação para os colegas de trabalho, por isso se desdobram. Normalmente, as pessoas do trabalho só ficarão sabendo que elas estão grávidas, e isso lá pelo terceiro mês de gestação", diz.



Para a especialista, é bom que a mulher mantenha sua rotina durante o tratamento. Assim, ela não concentra todas as atenções naquele momento, o que pode gerar uma ansiedade excessiva. "Falo para as minhas pacientes não fazerem o tratamento em período de férias. O melhor é pegar essas férias para viajar e curtir. Aconselho a encaixar o tratamento dentro da rotina normal delas", esclarece.



Transferência dos embriões

Os especialistas recomendam que, no dia da transferência dos embriões, as pacientes permaneçam em repouso. "Na maioria das vezes, as pacientes pedem para marcar o procedimento no final do dia. Desse modo, elas não mexem com a rotina profissional e têm a noite toda para ficar repousando", explica.



De acordo com Michele, as clínicas já estão habituadas a essa rotina e ajudam a paciente a manter as tarefas do dia a dia. "Trabalhamos das 7 horas da manhã às 7 horas da noite. Além disso, como dependemos do momento fértil da mulher, em alguns casos os procedimentos de retirada dos óvulos são feitos nos finais de semana. Portanto, há como ela conciliar sem ter que contar que está passando pelo tratamento", conta a especialista.



Cross Content
Especial para o Terra
Terra