publicidade
19 de setembro de 2012 • 08h06

5 dicas para usar enxaguante bucal

4- Não dilua As pessoas tinham o costume de diluir o produto por causa de sensação de ardência das versões com álcool. Dessa forma, ficava mais fácil de aguentar o produto na boca por mais tempo. Porém, ao misturar o enxaguante com água, o produto perde as propriedades e, com isso, sua eficiência.
Foto: Shutterstock
 

 

O enxaguante bucal pode ser uma tentação. Só de olhar o produto parece que o hálito fica fresco na hora. Também, do jeito que a boca arde, todos os germes devem morrer instantaneamente.  Mas esse pensamento é coisa do passado. Hoje, o mercado oferece diversas opções de enxaguantes sem álcool que protegem sem maltratar o dono da boca.
 
O importante é usar esse tipo de antisséptico quando for indicado pelo dentista. A frequência do uso varia de pessoa para pessoa. Para tirar as dúvidas sobre uso do produto, o presidente da Associação Brasileira de Halitose (ABHA), Marcos Moura, dá algumas dicas para o enxaguante ser um aliado da higiene bucal.
 
1- Leia a composição do produto
Não use produtos que contenham álcool em sua fórmula. Esse componente resseca a mucosa e provoca uma descamação. A consequência disso é a formação da saburra lingual, que provoca o mau hálito. Também é importante não usar produtos que não tenham registro da ANVISA.  
 
2- A frequência varia
Sempre o dentista vai orientar quantas vezes o enxaguante deve ser usado por dia. Cada caso é um caso. Em uma mesma família, uma pessoa pode usar uma vez  por dia e outras nem isso. 
 
3- Último passo 
O enxaguante bucal deve ser usado sempre depois da escovação, fio dental e raspagem da língua. A boca tem que estar livre de placa e a língua sem saburra para o produto agir. Caso contrário estará jogando o produto pelo ralo. 
 
4- Não dilua
As pessoas tinham o costume de diluir o produto por causa de sensação de ardência das versões com álcool. Dessa forma, ficava mais fácil de aguentar o produto na boca por mais tempo. Porém, ao misturar o enxaguante com água, o produto perde as propriedades e, com isso, sua eficiência.
 
5- Coadjuvante
Os enxaguantes são meios auxiliares de prevenção. Não existe produto milagroso para combater o mau hálito. Seu uso deve ser orientado pelo dentista. Alguns enxaguantes são bons para prevenir a halitose, mas se usados por muito tempo podem causar manchas nos dentes. Não dá para se enganar com o sabor do produto na boca. Ela já está higienizada, esse sabor dura no máximo meia hora. Mas o maior alerta é para produtos vendidos na internet sem o registro da ANVISA. Fuja deles. 
Intere Terra