Cuidar da boca pode acabar com dores de cabeça e de ouvido

As principais causas da dor orofacial são problemas dentários, na gengiva, língua e ossos maxilares

19 nov 2014
08h01

Dor orofacial é toda dor que se localiza na face e dentro da boca. São bastante comuns e chegam a afetar cerca de 20% da população. O problema pode vir da própria face ou de áreas próximas, como cabeça, pescoço e até mesmo da região do tórax. 

As dores orofaciais são bastante comuns e chegam a afetar cerca de 20% da população
As dores orofaciais são bastante comuns e chegam a afetar cerca de 20% da população
Foto: Sheftsoff / Shutterstock

Segundo Sílvia Siqueira, coordenadora do Comitê de Dor Orofacial da Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor, as causas mais comuns vêm de problemas dentários, das gengivas, língua e ossos maxilares. Além disso, doenças como câncer, problemas cardíacos, diabetes, artrite reumatóide e fibromialgia também podem causar esse tipo de dor. “Elas podem apresentar-se como dor de ouvido, dor de cabeça ou até dor nos dentes, e podem estar associadas também ao bruxismo (ato de ranger os dentes) e a disfunções temporomandibulares (ATM)”, diz. 

Novo tratamento é solução para quem tem disfunção da ATM
Ranger os dentes pode levar a dor facial
Em 10% dos casos, sinusite é causada por problema nos dentes


Por conta das inúmeras possibilidades de causa, é importante que o diagnóstico seja feito de forma minuciosa e por um cirurgião-dentista especializado no tratamento das dores orofaciais. Já o tratamento desse problema pode e deve ser feito por uma equipe de profissionais de diferentes especialidades, principalmente no caso das dores crônicas, aquelas que duram mais de seis meses. Neurologistas, fisioterapeutas e psicólogos são alguns dos médicos que podem contribuir para esse tratamento. 

Como evitar esse mal
A dor depende de múltiplos fatores para se estabelecer, que incluem aspectos emocionais, sociais, genéticos, doenças prévias, entre outros. Por isso, para Silvia, a melhor e mais eficiente forma de se prevenir é cuidando da saúde de uma forma geral. 

“É preciso cuidar não somente da saúde física, mas da mental e social. Além disso, devemos estar sempre atentos à dor aguda (aquela de curta duração) para que não permaneça e se prolongue a ponto de se tornar crônica. O atendimento precoce para o diagnóstico correto podem ajudar nisso”, diz a especialista.  

No caso dos problemas bucais, que são as causas mais comuns dessa doença, o que ajuda é uma higiene bucal rigorosa feita com o auxilio do fio dental e dos raspadores linguais e visitas frequentes ao dentista.

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.

compartilhe

publicidade