Cuidar da gengiva pode ajudar a tratar doenças da próstata

Pesquisa americana constatou que ao tratar a periodontite de pacientes, 85% apresentaram melhoras nas inflamações da próstata

9 mar 2016
08h00

Está cada vez mais claro que inflamações gengivais não tratadas podem trazer problemas mais graves por todo o corpo. Reforçando essa teoria, uma pesquisa feita pela Universidade Case Western nos Estados Unidos encontrou ligações entre a periodontite e a inflamação da próstata tanto na questão da causa, como do tratamento. 

O estudo analisou 27 homens com mais de 21 anos que tinham prostatite e periodontite (inflamações na próstata e gengiva, respectivamente). Ao serem submetidos apenas a tratamentos bucais, cerca de 85% dos pacientes apresentam uma melhora significativa na inflamação da próstata dentro de quatro a oito semanas. 

A periodontite pode ser facilmente evitada com visitas periódicas ao dentista, boa higienização bucal e nada de cigarro
A periodontite pode ser facilmente evitada com visitas periódicas ao dentista, boa higienização bucal e nada de cigarro
Foto: Ilya Andriyanov / Shutterstock

Para Alex Meller, urologista da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), o resultado da pesquisa faz sentido, embora tenha usado um número pequeno de participantes, o que, para ele, compromete as análises.

 “A periodontite pode causar uma inflamação generalizada no corpo liberando mediadores inflamatórios na corrente sanguínea (são como sinalizadores de inflamação no corpo) piorando um quadro de inflamação já existente na próstata. Com o tratamento da periodontite haveria uma melhora nesses mediadores e, consequentemente, das prostatites”, diz o especialista. 

Ou seja, tratando uma inflamação na boca se evita que células doentes circulem pelo corpo e causem ou agravem outras doenças. 

Outros problemas
Ver infecções bucais causarem ou agravarem outros problemas no corpo não é nenhuma novidade. A periodontite, em especial, tem sido considerada por muitos especialistas um fator de risco para várias doenças sistêmicas. 

“A partir de infecções bucais, bactérias podem se deslocar para o sistema circulatório e desencadear doenças do coração e outros órgãos. Em particular podemos citar a associação entre a doença periodontal e a cardiopatia coronária, uma vez que, pessoas com doenças gengivais terão uma chance maior de desenvolver doenças cardíacas”, diz Tally Karlik, cirurgiã-dentista da Clinica Orel. 

Essas mesmas bactérias também podem ser aspiradas para os pulmões provocando doenças respiratórias como a pneumonia. As mulheres gestantes com doença periodontal também estão mais propensas a terem bebês prematuros e com baixo peso, além de osteoporose e diabetes mellitus.

Como evitá-las
Apesar de ter consequências tão graves, a periodontite pode ser facilmente evitada. “Basta realizar visitas semestrais ao dentista que pode, além de tratar a doença, conscientizar o paciente sobre o melhor método para evitá-la, manter uma boa higiene bucal com o uso do fio dental pelo menos duas vezes ao dia e não fumar, uma vez que a nicotina aumenta o risco de desencadear inflamações gengivais”, diz Tally. 

Já a prostatite pode ser evitada realizando sexo com preservativos, especialmente o anal, pois as bactérias intestinais podem migrar e colonizar a próstata. 

 

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.

compartilhe

publicidade