Livre sua escova de dentes de fungos e bactérias

2 mai 2013
07h19
atualizado em 14/5/2013 às 11h58

A escova de dentes é a maior aliada da saúde bucal, mas também pode se tornar uma inimiga se não for conservada adequadamente. Isso porque o instrumento se torna o ambiente ideal para que bactérias, fungos e vírus proliferem. Para comprovar, a Faculdade de Odontologia da USP de Ribeirão Preto fez um estudo fotografando a multiplicação desses organismos nas cerdas com um microscópio. 

e escolher o melhor formato - a escova ideal é aquela que dificulta a contaminação e proliferação de micro-organismos, ou seja, ela deve ter um design clean, limpo, uma forma simples, lisa, sem irregularidades e produzida com materiais não porosos
e escolher o melhor formato - a escova ideal é aquela que dificulta a contaminação e proliferação de micro-organismos, ou seja, ela deve ter um design clean, limpo, uma forma simples, lisa, sem irregularidades e produzida com materiais não porosos
Foto: Shutterstock

"Temos cerca de 900 espécies de bactérias na boca, então não é difícil imaginar que, se eu vou fazer uma escovação, esses microorganismos podem ser transferidos para as cerdas da escova”, explica o professor Paulo Nelson Filho, da Faculdade de Odontologia USP. 

Protegendo a escova
O melhor meio de evitar a contaminação da escova é substituí-la regularmente – aproximadamente de três em três meses e escolher o melhor formato. “A escova ideal é aquela que dificulta a contaminação e proliferação de micro-organismos, ou seja, ela deve ter um design clean, limpo, uma forma simples, lisa, sem irregularidades e produzida com materiais não porosos”, diz o dentista Hugo Lewgoy,

Na hora de lavar a escova, é preciso usar bastante água corrente, sem passar o dedo nas cerdas, e retirar o excesso de água. O professor Paulo Nelson também recomenda borrifar antisséptico bucal – usado em bochechos – na cabeça da escova. 

Na hora de guardar
Ao contrário do que se pensa, guardar a escova dentro do armário não é o mais indicado, assim como gavetas, que são lugares quentes e úmidos. O ideal é optar por suportes abertos, em locais secos e ventilados. "Apenas quando borrifamos um antisséptico nas cerdas, a escova pode ser guardada no armário do banheiro", indica Paulo Nelson. Os protetores de cabeça de plástico que acompanham algumas escovas também são recomendados apenas para levar a escova na bolsa ou em viagens. 

Segundo o professor, o lugar da escova é longe do vaso sanitário. “As escovas ficam geralmente no banheiro, que na maior parte das vezes é o ambiente mais contaminado da casa e, assim, fica suscetível a contaminação por essas bactérias”, diz o professor. 

Higiene bucal livre de bactérias
- Antes de escovar os dentes, lave as mãos com água e sabão.
- Em seguida, faça um bochecho com água para eliminar resíduos de alimentos e diminuir a chance da comida ficar presa entre as cerdas e sofrer uma decomposição posterior.
- Se houver restos de alimento presos entre os dentes, remova-os antes da escovação com o auxílio do fio dental e de escovas interdentais.
- Use sempre creme dental, que já elimina 25% dos micro-organismos.
- Lave a escova com água corrente e não use os dedos.
- Remova o excesso de água.
- Borrife antisséptico bucal na cabeça da escova
- Evite encostar uma escova na outra.
- Antes da próxima escovação, lave a escova e enxague em água corrente para a remoção dos resíduos do antisséptico e dos micro-organismos eliminados.

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados. Fonte: Terra
publicidade