PUBLICIDADE
Logo do

Novidades

Saiba como não errar a mão no clareamento dentário

16 abr 2014 08h00
Publicidade
Quem consegue pensar em Cameron Diaz sem lembrar daquele sorriso enorme, lindo e branco.
Quem consegue pensar em Cameron Diaz sem lembrar daquele sorriso enorme, lindo e branco.
Foto: Shutterstock

Dentes branquinhos são sonho de consumo de muita gente, mas exagerar na dose pode trazer o resultado inverso do esperado: virar piada. Nem as celebridades escapam desse deslize e viram alvo de chacota. 

Para evitar erros no tom do clareamento, o cirurgião-dentista deve fazer um planejamento levando em consideração a resposta do dente e a tonalidade da pele do paciente. O procedimento é realizado por sessões e dificilmente os dentes ficam tão brancos logo de cara. Assim, é possível prevenir um ‘estrago’. “O planejamento do tratamento é importantíssimo e deve ser seguido com rigor. Por isso que é melhor evitar o uso indiscriminado de kits de farmácias ou lojas especializadas, o que não deixa de ser uma automedicação”, afirma a dentista. 

Segundo Flávia, o branqueamento, associado a uma boa higiene bucal, pode deixar os dentes claros por anos. Mas se for o caso de manutenção, as sessões podem ser feitas semestralmente. “Para ter um efeito mais prolongado, o ideal é evitar, durante e após o tratamento, alimentos com pigmentos escuros, como café, suco de uva, açaí, feijão preto e o fumo”.

Tom certo
Há muitos fatores que influenciam a cor do dente, como idade, higiene oral, tratamentos dentários anteriores, genética e outros. Por isso não existe regras e sim bom senso no planejamento e tratamento. Naturalmente, o dente tem um tom amarelado e isso permanecerá mesmo com o clareamento.

Quem quiser os dentes ainda mais brancos, pode optar por facetas, conhecidas como lentes de contato. Funcionam como se fossem unhas postiças, com formato e cor que o paciente escolher junto ao dentista. 

“É bom sempre lembrar que o clareamento dental tem algumas contraindicações: crianças, gestantes, pacientes com sensibilidade, exposição radicular, doenças periodontais e gengivais não controladas e próteses ou restaurações extensas (o clareamento só clareia dente natural)”, fiz Flávia. 

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.
Fonte: Terra
Publicidade