PUBLICIDADE
Logo do

Novidades

Saiba o que sua boca diz sobre você

Sinais de estresse, de falta de vitaminas e doenças em outras partes do organismo podem aparecer primeiro na cavidade oral

Publicidade

A saúde começa pela boca. Isso é uma verdade, inclusive quando se trata de diagnósticos de doenças em outras partes do corpo. O hálito, a gengiva e até os dentes podem indicar problemas no organismo e psicológicos. Por isso, vale agendar a consulta no dentista e manter, além da saúde oral, o bem-estar geral. Veja a seguir alguns sinais que aparecem na boca.

Gengiva sangrando
É um sinal de alerta que alguma coisa não vai bem. A função da gengiva é proteger o dente e a estrutura óssea contra as bactérias e alimentos que podem trazer danos de alguma forma. Quando começa a sangrar espontaneamente, muitas vezes é por conta de uma higiene incorreta. Com a limpeza inadequada da boca, a placa se acumula e calcifica, formando o tártaro – uma placa dura que somente o cirurgião-dentista consegue remover. 

Caso essa placa não seja removida, as bactérias começam a liberar toxinas que inflamam a gengiva e causam sangramento e inchaço. Enquanto os elementos bacterianos estão somente na gengiva, o tratamento é simples, mas, se não for tratado, pode chegar a um estágio avançado. Como exemplo, a periodontite. “Nesse caso, o problema já chegou ao osso e os dentes podem ficar moles, correndo o risco de serem perdidos. E essas bactérias podem cair na circulação sanguínea e chegar ao coração, o que causa uma endocardite bacteriana”, diz a cirurgiã-dentista, Katyuscia Lurentt.

Feridas nos lábios 
Podem ser desidratação, principalmente no inverno. Nessa época, os lábios ficam rachados. Quando as feridas ficam no canto da boca e não cicatrizam, podem ser uma queilite angular – processo inflamatório, localizado no ângulo da boca, bastante doloroso. “Pode ser provocada pela falta de vitaminas do complexo B e na alimentação. Mas é uma inflamação fácil de ser tratadas e não causa problemas maiores”, afirma Katyuscia.

Dentes doloridos ou desgastados
Pode ser que a pessoa esteja apertando os dentes. O bruxismo começa a desgastar e quebrar os dentes. Já quando a mandíbula fica cansada, é porque os músculos da mastigação estão doloridos e hipertrofiados, devido a esse ‘apertamento’ noturno. Esses problemas devem ser tratados, pois cada vez mais podem ser desenvolvidas disfunções na articulação e perda dos dentes. “Muitas vezes, esses problemas surgem devido a mal oclusão e até mesmo ao estresse, problemas emocionais, financeiros e afins. Isso porque, durante o sono, em vez de relaxar, o paciente permanece nervoso e estressa, contraindo a musculatura e apertando os dentes durante a noite”, afirma a especialista.

O hálito, a gengiva e até os dentes podem indicar problemas no organismo e psicológicos
O hálito, a gengiva e até os dentes podem indicar problemas no organismo e psicológicos
Foto: Sebastian Kaulitzki / Shutterstock

Boca seca 
Provavelmente a pessoa não se está produzindo saliva o suficiente para manter a boca úmida. A saliva é extremamente importante, pois protege os dentes contra bactérias. Isso pode causar problemas preocupantes, como a deterioração do esmalte dentário, candidíase (doença provocada por fungos) e infecções nas glândulas salivares. Além disso, a saliva facilita a mastigação e deglutição dos alimentos. Serve também como defesa importante contra o desenvolvimento de bactérias. “São causas de boca seca: medicamentos, menopausa, radioterapia e quimioterapia, diabetes, etc”, explica Katyuscia.

Aftas 
A afta é uma ferida dolorosa e pode indicar baixa imunidade. Também pode ser causada por uma doença específica ou pelo uso de medicamentos. Alguns fatores que podem desencadear a afta: estresse emocional, período menstrual, mudanças hormonais. Algumas doenças como a AIDS, que afetam o sistema imunológico, podem causar mais aftas. Quimioterapia e radioterapia diminuem também a imunidade, aumentando a decorrência de aftas na mucosa oral e língua. “A afta acaba causando irritabilidade e falta de apetite por ser dolorosa”, diz a dentista.

Halitose
O hálito é um bom termômetro para saber como vai a saúde no resto do corpo. Pelo cheiro na boca, é possível desconfiar de leucemia a diabetes. “No caso da leucemia dá para desconfiar do sangramento gengival espontâneo, sem placa bacteriana”, diz Olinda Tarzia, da SOBREHALI (Sociedade Brasileira de Estudos da Halitose). “O cheiro do sangue excessivo que sai das gengivas também é um forte indicativo da doença”, afirma. 

“Pessoas com diarreia ou gastroenterites também podem ter mau hálito, a boca perde muita água facilitando a formação da saburra lingual, causando também um cheiro de esgoto na boca”, diz Ana Cristina Zanchet Gomes, periodontista e especialista no diagnóstico e tratamento da halitose, da clínica Hálito Curitiba.

Já quem tem halitose por causa da diabetes costuma apresentar um cheiro bucal mais ácido, semelhante ao cheiro de maçã velha, de acordo com a especialista. Enquanto os pacientes com doença renal crônica, em hemodiálise e transplantados, apresentam um hálito com odor de urina. Outras doenças como intolerância à lactose, cirrose, febre reumática, mononucleose e sífilis também podem alterar o hálito e ser percebidas por um profissional. 

 

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.
Publicidade