0

Jovens ignoram efeitos colaterais e 'viciam' em Viagra; entenda

  • separator
  • comentários

A famosa pílula azul, o Viagra, está entrando na lista de itens indispensáveis para o sexo de homens jovens, que não precisariam fazer uso do medicamento. Indicado para quem tem problemas de ereção, a maioria com idades superiores a 50 anos, o Viagra está sendo usado pelos mais novos para lidar com fatores como ansiedade e medo da performance.

São conhecidos os efeitos do uso do remédio a longo prazo, como visão comprometida, problemas cardíacos e perda de audição
São conhecidos os efeitos do uso do remédio a longo prazo, como visão comprometida, problemas cardíacos e perda de audição
Foto: Getty Images
Para esses homens, o sexo deveria se parecer com as relações registradas em produções pornográficas, além disso, preocupações com dinheiro podem estar atrapalhando a vida sexual. O assunto começou a ganhar atenção quando um escritor inglês, James Andrew, de 24 anos, cometeu suicídio e um dos motivos seria que a namorada teria descoberto que ele usava Viagra secretamente para manter relações com ela. Outros jovens relatam que gostaram do efeito do remédio e, por isso, passaram a fazer uso contínuo do medicamento.
São conhecidos os efeitos do uso do remédio a longo prazo, como visão comprometida, problemas cardíacos e perda de audição. Um homem de 32 anos, entrevistado pelo jornal Daily Mail , explica por que faz uso do medicamento. "Eu faço dieta, me exercito regularmente e estou em uma forma parecida com a da época de adolescente e adoro a companhia de mulheres. Mas agora, aos 30, estou achando difícil manter relações sem Viagra. Não importa como me sinto no momento, se vou sair com uma mulher, tomo duas pílulas antes da relação", disse. Homens como ele dizem estar cientes dos efeitos colaterais e terem aprendido a lidar com sensações como zumbido nos ouvidos, palpitações cardíacas e suor frio. "Às vezes, parece que vou ter um ataque cardíaco", relatou o entrevistado.
O psicoterapeuta Raymond Francis contou ao jornal que atende uma média de 15 homens por mês que reportam dependência do Viagra e que a idade média fica na cada dos 30 e poucos anos. "Esses homens não têm problemas físicos, apenas acham que precisam do remédio porque colocam muita expectativa em relação à performance sexual e sobre o que pensam que as mulheres esperam deles no quarto", explica. Segundo o especialista, o acesso à pornografia na juventude tem influência nesse comportamento. "Deixa impressões profundas e irreais sobre as mulheres e sobre o que deveriam fazer."
O uso do Viagra também seria uma maneira de os homens lidarem com o aumento da autoconfiança feminina, que não tem medo de expor seus desejos no campo sexual. "Hoje, mulheres que foram criadas dentro de uma cultura que valoriza o sucesso querem experimentar liberdade e força na vida sexual também", explicou o terapeuta. Outro fator pelos quais os homens sentem-se pressionados é a necessidade de engravidar a parceira dentro de um prazo determinado. "Acompanho homens em relacionamentos nos quais a mulher decidiu postergar a gravidez até a carreira estar estabilizada e que enfrentam dificuldades para conseguir ter filhos. Esses homens sentem-se pressionados para manter relações em horas determinadas pelo médico e o sexo torna-se mecânico, o que leva à procura do Viagra", disse o especialista.
Ponto a Ponto Ideias

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade