Diga X: dente de leite é mais importante do que você pensa

Eles ajudam a construir a fala, a mastigação e ainda colaboram para que os dentes permanentes nasçam no lugar certo

3 jun 2016
08h00
  • separator
  • comentários

Apesar de provisórios, os dentes de leite são muito importantes para o sorriso uma vez que são fundamentais para o desenvolvimento funcional e psicoemocional da criança. Afinal, são eles que estão lá e dão suporte quando os pequeninos começam a comer e falar. E também é a partir deles que o indivíduo aprende como higienizar a boca corretamente e traça os primeiros passos para um sorriso bonito.

Do ponto de vista funcional os dentes de leite beneficiam especificamente três aspectos: a mastigação, a fonação e o desenvolvimento e crescimento craniofacial.

A negligencia com os dentes de leite pode causar, a curto prazo, danos mais sérios como a cárie dentária, dor e até perda do dente de leite que, a longo prazo, poderá resultar em má oclusões, perda de função, estética, alteração na fala da criança e impacto na qualidade de vida da dela
A negligencia com os dentes de leite pode causar, a curto prazo, danos mais sérios como a cárie dentária, dor e até perda do dente de leite que, a longo prazo, poderá resultar em má oclusões, perda de função, estética, alteração na fala da criança e impacto na qualidade de vida da dela
Foto: Roman Sorkin / Shutterstock

“Eles permitem o corte e mastigação dos alimentos, sendo que o aumento da consistência dos alimentos é realizado conforme aumenta o número de dentes de leite. Eles auxiliam na correta articulação dos fonemas, sendo que a ausência dos mesmos compromete a fala da criança. E ainda servem de guia para os seus sucessores permanentes, mantendo o espaço para a sua correta erupção e evitando o posicionamento incorreto dos dentes na arcada dentária que possam comprometer a estética no futuro”, diz Gabriela Oliveira Berti, doutoranda da Disciplina de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia da USP (FOUSP).

Do ponto de vista psicoemocional, a especialista garante que a criança já possui um autoconhecimento e tem consciência do que é feio ou bonito em seu sorriso. “Assim, muitas doenças bucais tais como a cárie dentária, podem comprometer a qualidade de vida, bem-estar emocional e social em crianças pequenas”, diz Gabriela.

Bem tratados, sim!
No entanto, há ainda quem pense que por serem provisórios, eles não precisam ser tão bem higienizados quanto os permanentes. Doce engano. Segundo a Associação Brasileira de Odontopediatria os profissionais da área têm o dever de orientar e motivar os responsáveis pelas crianças a cuidarem bem da saúde bucal dos pequenos.

“A orientação é para que os dentes de leite sejam higienizados com escova e creme dental com flúor com pelo menos 1000 ppm desde a erupção do primeiro dente. A grande diferença na higienização de dentes de leite e permanentes é a quantidade de creme fluoretado empregado durante a escovação, sendo que crianças com até 4 anos de idade devem usar o equivalente a um "grão de arroz cru" e crianças dos 4 aos 8 anos de idade o equivalente a um "grão de ervilha", diz Jenny Abanto, professora do Curso de Odontopediatria na Primeira Infância da FUNDECTO-FOUSP.

Além disso, é importante que a escovação seja sempre supervisionada por um adulto e realizada logo após as refeições.

Negligência
A negligencia com os dentes de leite pode causar, a curto prazo, danos mais sérios como a cárie dentária. Em parceria com a higienização bucal desde cedo, é importante que os pais também fiquem atentos à dieta de criança.

“Recomenda-se que seja evitado o consumo de açúcar até os 2 anos de idade e reduzido o seu consumo após esta idade. Se a lesão de cárie acontecer e os bons hábitos de higiene e dieta ainda não forem inseridos, a lesão irá progredir podendo causar dor e até perda do dente de leite que, a longo prazo, poderá resultar em má oclusões, perda de função, estética, alteração na fala da criança e impacto na qualidade de vida da mesma”, diz Jenny.

Mais frágeis?
Segundo Gabriela, não podemos considerar os dentes de leite mais frágeis que os permanentes, porém o padrão de mineralização dele é menor do que o do dente permanente.

“O esmalte e dentina dos dentes de leite têm menor espessura e a polpa dentária, conhecida como “nervo” do dente, é mais ampla. Devido a isso, as lesões de cárie atingem mais rápido a polpa do dente de leite, podendo gerar a necessidade de tratamentos de maior complexidade se não receberem cuidados em saúde bucal”, diz a especialista.

Agência Beta

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade