Nova técnica promete anestesia sem dor e sem boca torta

Equipamento inovador usa agulha especial e libera 70% menos anestesia do que os procedimentos convencionais

13 dez 2016
07h45
atualizado às 08h00
  • separator
  • comentários

Para muita gente ir ao dentista é uma questão complicada. Existem pessoas que têm verdadeiro pavor do barulho do motorzinho ou da ideia de dor e aflição que eles fazem de alguns procedimentos, como a anestesia, que sempre vem com aquela picada chata e dolorida. Mas e se a gente te dissesse que esse conceito anestésico está com os dias contados?

Estudos mostram que quase 80% da população sofre com alguma ansiedade quando visitam o dentista e as anestesias têm uma grande parcela de culpa nisso
Estudos mostram que quase 80% da população sofre com alguma ansiedade quando visitam o dentista e as anestesias têm uma grande parcela de culpa nisso
Foto: Diego Cervo / Shutterstock

Já existe hoje uma nova técnica que consiste em uma estação computadorizada de aplicação de anestesia, chamada de Morpheus, que além de ser mais segura por utilizar uma dose muito menor de anestésico, propicia também uma anestesia sem dor. Isso mesmo, sem dor!

“Isso porque ela é capaz de anestesiar somente o dente que será tratado, sem a dor da picada da agulha, sem a dor da introdução do líquido anestésico e sem efeito colateral como a famosa boca torta”, diz Paulo Roberto Pereira, representando e consultor do Morpheus.

Como assim sem dor?
Essa é a pergunta que não quer calar. Como assim sem dor? A resposta está na tecnologia do equipamento que conta com a introdução de uma agulha especial (extra-curta) e uma técnica diferenciada que controla a velocidade com que o anestésico entra na região, alcançando um equilíbrio entre a entrada do líquido e sua absorção pelos tecidos.

“Dessa forma o volume do anestésico não se acumula e, portanto, não exerce compressão nos feixes nervosos presentes nos locais onde o líquido está sendo depositado, evitando a dor do momento de penetração do líquido. Enquanto isto acontece, atinge-se o tempo de latência da droga cujo efeito se estabelece e passa a impedir a dor durante os procedimentos”, diz Paulo.

A outra grande vantagem é que dessa forma, a dose de anestesia liberada chega a ser 70% menor do que nos procedimentos convencionais, evitando que a boca fique dormente depois do procedimento, pois não há comprometimento dos tecidos moles, e dando mais segurança ao procedimento.

Todos os pacientes
Ainda segundo Paulo, não há nenhuma contraindicação a esse novo conceito anestésico que promete ser tão eficiente quanto o convencional.

“Pelo contrário, o Morpheus é extremamente indicado para pacientes de necessidades especiais, crianças e para aqueles que sentem fobia de dentista”, diz o representante.

Ansiedade ao dentista
E é exatamente o pessoal que vive fugindo das consultas odontológicas que mais vai gostar dessa nova técnica. Estudos mostram que quase 80% da população sofre com alguma ansiedade quando visitam o dentista e as anestesias têm uma grande parcela de culpa nisso.

“Boa parte dos brasileiros têm fobia a dentista e isto leva a um alto nível de abandono de tratamento, cancelamento de consultas e um consequente prejuízo para dentistas e pacientes”, diz Paulo.

Segundo o especialista, o Morpheus vem com a missão de diminuir drasticamente essas estatísticas atraindo mais pacientes aos consultórios e assim, melhorando ainda mais a condição da saúde bucal das pessoas.

Agência Beta

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade