Cigarro pode causar alteração de voz?

Fumaça quente causa irritação e inchaço nas cordas vocais que perdem a flexibilidade a param de vibrar

23 dez 2016
08h00
atualizado em 19/7/2017 às 18h14
  • separator
  • comentários

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. São aproximadamente 2 bilhões de fumantes e isso equivale a um terço da população adulta existente no planeta. Ao fumar, você permite que mais de 4500 substâncias químicas tóxicas entrem pela boca e afetem todo o corpo. Entre as áreas abaladas por esse hábito está a voz que pode ficar mais grossa ou até sumir.

Essa alteração da voz é ainda mais perceptível nas mulheres que costumam ter naturalmente a voz mais suave e doce
Essa alteração da voz é ainda mais perceptível nas mulheres que costumam ter naturalmente a voz mais suave e doce
Foto: ra2studio / Shutterstock

O fumo é altamente nocivo para a voz, pois a fumaça quente agride o sistema respiratório e as pregas vocais, alterando o seu funcionamento e podendo causar ressecamento, irritação, pigarro, edema (inchaço), tosse, além de aumentar a produção de secreções e causar infecções diversas.

“Por questões anatômicas, as pregas vocais funcionam como aparadores das impurezas, e substâncias como a nicotina podem acabar ficando depositadas nelas e na região da laringe causando rigidez, dificultando a sua movimentação e flexibilidade e prejudicando a produção da voz e a qualidade vocal”, diz Perla do Nascimento Martins, fonoaudióloga com especialização em Voz pelo CEFAC/SP.

Essa alteração da voz é ainda mais perceptível nas mulheres que costumam ter naturalmente a voz mais suave e doce. “Se a voz de um homem fica mais grave ela não é percebida como alteração, pois apenas aparenta ser mais forte e confiável”, diz a especialista.

Sem som
Se a pessoa começar a apresentar uma voz mais grossa e não fizer nada a respeito e ainda por cima insistir em continuar com o hábito de fumar, ela pode acabar perdendo a fala. “A perda da voz pode acontecer pela tensão excessiva que o fumante faz em busca da voz ideal. O sistema sofre sobrecarga para produzir uma voz equilibrada e aí o trato vocal perde a competência de funcionar de forma harmônica tendendo a fazer mais esforço com mais gasto de energia, ocasionando cansaço e fadiga”, diz a especialista.

Para tratar o problema é preciso, antes de mais nada, parar de fumar, pois assim muitos sintomas já começam a diminuir ou são eliminados. Vale ressaltar que esse processo tem relação importante com o tempo de tabagismo e a saúde de cada pessoa.

“O tratamento fonoaudiológico consiste na realização de exercícios específicos que visam à adequação do processo fonatório. Os exercícios realizados promovem melhor padrão respiratório, vibração e flexibilidade das pregas vocais, ativam a circulação sanguínea para facilitar as trocas celulares, eliminam das toxinas e reduzem o edema”, diz Perla.

Outros problemas
Além da alteração da voz, é comum os fumantes relatarem dificuldades respiratórias e instabilidade vocal durante a fala, precisando fazer pausas inadequadas para respirar ou para limpar a garganta por causa do excesso de secreção na região da laringe.

“Esse acúmulo de secreções está associado à parada temporária da movimentação das células ciliadas responsáveis pela eliminação de secreções e corpos estranhos do trato respiratório. As células param sua movimentação por uma hora a cada cigarro utilizado”, diz Perla.

O cigarro também pode ocasionar destruição progressiva dos alvéolos pulmonares, como no caso do enfisema pulmonar, lesão que apresenta a formação de "grandes bolhas de ar" no lugar do tecido pulmonar normal. Além disso, o tabagismo está associado a quadros de câncer na região de cabeça e pescoço, cavidade bucal, face, entre outros órgãos e estruturas vitais do nosso corpo.

Enfim, cuide da sua saúde. Cuide da sua voz, ela te apresenta e perdê-la pode te trazer grandes desvantagens pessoais e profissionais.

Agência Beta

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade