Escovar os dentes errado pode causar sensibilidade

Excesso de força não tem nada a ver com dentes limpos, pelo contrário, essa prática pode desgastar o esmalte dental

19 dez 2016
08h00
  • separator
  • comentários

Você sabe escovar os dentes? Sabe mesmo? Essa pergunta parece meio óbvia, mas muita gente acha que desempenha bem essa função, mas não desempenha, não. E escovar os dentes errado pode causar alguns problemas bucais sérios como a sensibilidade, por exemplo.

Quando usamos força demais acabamos não limpando entre os espaços
Quando usamos força demais acabamos não limpando entre os espaços
Foto: YanLev / Shutterstock

A sensibilidade dental aparece quando há um desgaste da superfície do dente (esmalte), deixando a dentina, parte mais interna que recobre os nervos, exposta. Mais comum do que você pensa, esse problema atinge em média uma em cada quatro pessoas.

Muitas coisas podem causar sensibilidade dental como alimentos gasosos ou ácidos (refrigerantes), bruxismo (ato de ranger ou apertar os dentes), gengivite não tratada, dente lascado ou quebrado e, claro, o excesso de força durante a escovação. Na verdade, até escovar os dentes demais pode causar esse problema.

Escovar errado
Muitas pessoas acham que escovar bem os dentes é escovar muito e com força. Errado! “Quanto mais pressão a pessoa colocar na escovação, maiores são as chances de desgastar o esmalte. Com o esmalte desgastado, maiores são as chances de ter uma sensibilidade nos dentes. Colocar força e pressão na escovação não é nem de longe sinônimo de uma escovação bem feita”, diz Alexandre Bussab, cirurgião-dentista da Clínica Brasil Smiles.

Além disso, usar força demais não limpa os dentes direito. “Quando usamos força demais acabamos não limpando entre os espaços”, diz o especialista.

Escovar certo
Para começar, segundo Alexandre, é recomendado escovar os dentes de quatro a cinco vezes ao dia para remover a placa bacteriana que se forma neles. “De preferência após as refeições e sempre utilizando o fio dental. Uma boa higiene bucal também conta com uma higienização da língua e dos tecidos bucais, prática que muitos não fazem”, diz o especialista.

Ele ainda recomenda usar movimentos circulares curtos de cima pra baixo na arcada superior com inclinação da cabeça da escova de 45° e movimentos de vai e vem nas regiões oclusas. “O ato deve durar no mínimo dois minutos, sendo que a escovação antes de dormir é a mais importante”, diz Alexandre.

O certo é que a escovação alcance todos os dentes e não machuque os tecidos moles como a gengiva. “As escovas com cerdas macias são as mais indicadas, pois são flexíveis e conseguem alcançar os lugares mais difíceis e apertados. Se a pessoa tiver os dentes bastante espaçados as de cerdas mais duras podem ser mais eficientes. Cabo anatômico e cantos arredondados também são preferíveis”, diz o especialista.

Consulte mais o seu dentista
A importância do dentista nesses casos está desde a orientação de como escovar os dentes corretamente até na identificação e tratamento do problema. Mas como muitos fogem das consultas odontológicas deixando a saúde oral em segundo plano, os problemas não pensam duas vezes antes de aparecer. “Como em toda área da saúde, o nosso primeiro papel deveria ser o da prevenção”, diz Alexandre.

Por isso, assim que você sentir algum sintoma de sensibilidade, que muitas vezes vem como um choque rápido na região afetada, procure seu dentista.

“Ele vai poder orientar o paciente quanto a escovação, tipos de cremes dentais para usar e quais são os melhores tratamentos corretivos. Enxaguante bucal com flúor também pode auxiliar. Há medidas na alimentação que também auxiliam a amenizar o problema como evitar bebidas muito ácidas e mascar chicletes sem açúcar que por conta da produção salivar melhoram o ph bucal”, diz o especialista.

Agência Beta

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade