Língua presa pode causar desmame precoce

Sem grande movimento língual, o bebê precisa fazer muito esforço para mamar tornando o ato muito desgastante para mãe e filho

22 set 2016
08h00
atualizado às 09h10

Quando falamos de língua presa só pensamos no comprometimento da fala, mas na verdade esse probleminha pode causar desdobramentos mais sérios como o desmame precoce. Para o bebê sugar o leite materno diretamente do peito adequadamente é importante que não haja nenhum impedimento à livre movimentação da língua.

Esses fatores tornam estressante o ato de amamentar, levando muitas vezes à introdução de complemento (mamadeira), o que pode causar o desmame precoce
Esses fatores tornam estressante o ato de amamentar, levando muitas vezes à introdução de complemento (mamadeira), o que pode causar o desmame precoce
Foto: Dynamicfoto / Shutterstock

“Quando o frênulo lingual, aquela pequena membrana que temos embaixo da língua, prende os seus movimentos, o bebê acaba tendo que fazer muito esforço para mamar, se cansando com facilidade e tornando as mamadas mais frequentes”, diz Roberta Martinelli, fonoaudióloga e criadora do Teste da Linguinha.

Com dificuldades para mamar, a criança pode, inclusive, começar a perder peso e ter sua saúde comprometida. Além disso, pelo fato de sua língua estar presa, a criança acaba pressionando de maneira incorreta o mamilo da mãe, causando muita dor. “Esses fatores tornam estressante o ato de amamentar, levando muitas vezes à introdução de complemento (mamadeira), o que pode causar o desmame precoce”, diz a especialista.

Teste da Linguinha
A forma mais simples de se evitar esse problema, e outros que a língua pesa pode causar no futuro, é realizando o Teste da Linguinha assim que o bebê nasce. “Desde 2014 uma lei obriga a realização do protocolo de avaliação do frênulo da língua em recém-nascidos de todos os hospitais e maternidades do país. É um exame rápido, que não causa dor e tem um custo muito baixo”, diz Roberta.

Por esse exame, que deve ser feito até 24 horas após o nascimento do bebê, é possível indicar a liberação do frênulo lingual, que é um pequeno procedimento cirúrgico conhecido popularmente como pique, para que a língua se movimente adequadamente para poder fazer as funções de sugar e deglutir e, futuramente, mastigar e falar. “Mas infelizmente, nem todas as maternidades do país estão cumprindo a lei ainda”, alerta a especialista.

Falta grave
Esse descumprimento da lei é muito grave, pois se o frênulo não for liberado ainda na maternidade, as mães terão muito dificuldade de lidar com a situação sozinhas.

“Estudos com ultrassonografia têm mostrado que os bebês com língua presa fazem uma compressão inadequada do mamilo materno, além de não espaçar os horários de mamada, portanto é imprescindível que as mães com dificuldades para amamentar sejam orientadas por um profissional atualizado e qualificado”, diz Roberta.

Outros problemas
Entre os problemas que a língua presa pode causar, além do desmame precoce, estão o posicionamento baixo de língua na cavidade oral, o que pode levar a criança a ter um céu da boca alto e estreito, dificuldades na transição para a papinha, problemas para mastigar e engolir alimentos mais consistentes e fibrosos e por fim, alterações na fala.

Como detectar
Caso o Teste da Línguinha não seja feito quando seu filho nascer, há algumas formas de os próprios pais perceberem o problema.

“Eles podem verificar se a ponta da língua da criança apresenta uma fenda ou tem formato de coração, se durante o sono a língua fica baixa na cavidade oral, se o bebê tende a ficar com os lábios abertos ou entreabertos ou ainda se o frênulo está fixado no ápice ou próximo a ele”, diz a especialista.

Segundo ela, qualquer sinal que deixem os pais em dúvida, é melhor consultar um profissional especializado (fonoaudiólogo ou odontopediatra) para orientá-los sobre a melhor conduta.

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.

compartilhe

publicidade
publicidade