Aparelho: atraso no tratamento pode causar cárie e gengivite

Ma higienização, falta de planejamento, quebra de peças e faltas às consultas são as principais causas dos atrasos

18 jul 2016
08h00
atualizado às 14h11
  • separator
  • comentários

O sucesso do tratamento ortodôntico depende tanto do paciente quanto do ortodontista. Se um dos dois não cumprem suas obrigações durante o processo as coisas podem não acontecer dentro do previsto atrasando os resultados e prejudicando a saúde bucal. No fim, ficar muito tempo com o aparelho pode causar muito mais do que apenas perda de tempo, pode causar perda dental!

Quando o paciente fica muito tempo com o aparelho, é normal que ele se desmotive em relação a higiene bucal, facilitando o surgimento de cáries e problemas na gengiva
Quando o paciente fica muito tempo com o aparelho, é normal que ele se desmotive em relação a higiene bucal, facilitando o surgimento de cáries e problemas na gengiva
Foto: hightowernrw / Shutterstock

Mudanças de plano causam atrasos
O sucesso do tratamento começa em um consultório. É dever do ortodontista se manter a par das técnicas e conhecimentos mais recentes, aplicando-as de maneira individualizada para cada caso.

“É importante que o planejamento seja realizado especificamente para cada caso e que o paciente seja informado desde o início sobre todas as etapas do tratamento; tudo de acordo entre as duas partes para que não ocorram mudanças durante o processo. Sair do plano gera atrasos”, diz Alexandre da Veiga Jardim, ortodontista e autor do blog Ortodontia Descomplicada.

Regras são para serem seguidas
A partir daí, é fundamental que a pessoa siga tudo que lhe for passado. Desvios de conduta nessa hora geram atrasos no tratamento que por sua vez causam problemas muito maiores do que só a perda de tempo. Alterações na mastigação, perda óssea, movimentações dentárias desnecessárias e até perda dos dentes são alguns desses problemas.

“Com os atrasos, reabsorções das raízes dentárias (encurtamento das raízes), que são consideradas um efeito colateral já previsto, acontecendo em maior ou menor grau em todos os pacientes, podem surgir com maior intensidade causando sérios danos à saúde bucal”, diz Alexandre

Falhas do paciente
Má higienização, quebras no aparelho e faltas às consultas são os vacilos mais comuns dados pelos pacientes. “É importante que o paciente não falte às consultas, pois o tratamento só tem efeito se o ortodontista fizer as devidas ativações”, diz o especialista.

Se a pessoa não obedecer às instruções alimentares do dentista, o tempo de tratamento também pode aumentar. “Alimentos duros como balas e doces podem quebrar o aparelho e alimentos mais "puxentos" podem estragar as bandas que são colocadas nos dentes posteriores”, diz Alexandre. E não precisamos dizer, né? Aparelhos que não funcionam ou funcionam de forma errada podem alterar o curso das coisas. Ou seja, mais atrasos e mais danos.

Quem usa aparelho sabe que é preciso ser bastante detalhista na hora da higienização bucal, pois é comum os alimentos se prenderem entre o fio e os braquetes.

“Quando o paciente fica muito tempo com o aparelho, é normal que ele se desmotive em relação a higiene bucal, facilitando o surgimento de cáries e problemas na gengiva. Aqueles que não fazem a higienização bucal da forma correta podem desenvolver esses problemas que, além de serem um risco à saúde bucal, causam atrasos ao tratamento ortodôntico, pois muitas vezes é preciso remover algumas peças ou partes do aparelho para tratá-los”, diz o dentista.

Por fim, outro motivo que causa atrasos no tratamento é o não uso, ou uso incorreto, dos acessórios prescritos pelo dentista. “O paciente deve usar de forma correta e durante o tempo determinado acessórios como elásticos, aparelhos removíveis, aparelho de contenção, etc. Se houver dúvida, não tenha medo de perguntar para seu ortodontista, é melhor perguntar do que usar de maneira incorreta e prejudicar todo o procedimento”, diz Alexandre.

Agência Beta

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade