Peri-implantite: quando a má higienização estraga o implante

Essa doença é causada principalmente por acúmulo de placa bacteriana, mesma razão que contribuiu com a perda dos dentes originais

  • separator
  • comentários

Fazer implante é uma solução maravilhosa para quem perdeu algum dente e não consegue mais sorrir tranquilamente. Mas engana-se quem pensa que, por serem artificiais, esses novos dentes não precisam de cuidados. Quem tem implantes e negligencia a saúde bucal pode desenvolver a peri-implantite, doença que pode colocar todo o tratamento, e o seu sorriso, em risco.

Um tratamento com implantes não deverá ser iniciado até que os pacientes saibam realizar uma boa higienização bucal
Um tratamento com implantes não deverá ser iniciado até que os pacientes saibam realizar uma boa higienização bucal
Foto: VladFree / Shutterstock

Peri-implantite nada mais é do que uma inflamação ao redor do implante. Se ela não for tratada logo pode causar perda de suporte ósseo e prejudicar a fixação do dente artificial. Sua fase inicial é chamada de mucosite.

“A mucosite é uma lesão reversível que se manifesta mais precisamente no tecido mole (gengiva, por exemplo), ou seja, ela não causa perda de tecido ósseo. Já a peri-implantite, além de atacar o tecido mole, também causa perda do tecido ósseo. E, dependendo da forma como ocorre essa perda, a lesão poderá ser irreversível”, diz Anderson Chagas Coelho, cirurgião-dentista especialista em Periodontia. Prótese Dentária e Saúde da Família.

Por isso que, ao menor sinal de algum problema com seu implante, um especialista deve ser procurado. “O ideal é que o tratamento ocorra antes de chegar à peri-implantite, ou seja, no período da mucosite. Ainda nessa fase, o tratamento é mais simples (remoção da placa bacteriana) e não precisa de procedimentos cirúrgicos”, diz o especialista.

Causas e sintomas
Mas como saber se estamos com um princípio de inflamação no nosso implante? Segundo Anderson, os principais sintomas dessa doença são gengiva avermelhada, inchaço, presença de edemas, formação de pus, sangramentos, perda óssea, e mobilidade, sendo esses dois últimos, como já falamos, sintomas apenas de casos mais graves.

O mais impressionante sobre esse problema é que normalmente ele é causado pelo acumulo de placa bacteriana, ou seja, falta de uma higienização bucal eficiente, motivo esse que costuma ser o mesmo que levou a pessoa a perder seus dentes originais no início dessa história toda.

Reeducação do paciente
E a situação pode ficar ainda mais grave se, além de cometer o mesmo erro por costume, a pessoa achar que, porque os dentes são artificiais, eles realmente não precisam de cuidados para permanecer vivo.

“Na verdade, este pensamento é muito corriqueiro, porém é completamente errado. Assim como houve perda de estruturas dentárias por falta de higienização, também haverá perda dos implantes. A higienização bucal é primordial para a manutenção de qualquer tratamento reabilitador” diz o especialista.

Para Anderson, os profissionais que lidam com implantes têm a responsabilidade de se certificar se seus pacientes entenderam essa questão da perda dental e a importância da higienização bucal.

“Não podemos tratar um paciente sem que ele saiba o porquê da perda dos seus dentes, pois futuramente o tratamento que foi realizado também será perdido. Um tratamento com implantes não deverá ser iniciado até que os pacientes saibam realizar uma boa higienização bucal e estejam sem problemas bucais como periodontite e cárie”, diz Anderson.

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade