Remédios caseiros mascaram halitose e podem causar irritação

Limão, cravo da índia e bicarbonato. Eles podem até ter uma boa ação inicial, mas em excesso vão trazer mais problemas do que solução

7 dez 2016
08h00

O mau hálito pode atingir qualquer pessoa, mas tem cura. O problema é que por vergonha, facilidade (as vezes ilusória) de se resolver o problema através de conselhos da internet ou ainda por dificuldade em encontrar um profissional qualificado, muitas pessoas optam por usar remédios caseiros para combater o problema.

O bicarbonato até ajuda a remover resíduos, mas em excesso pode irritar a mucosa bucal, além disso, pode piorar a halitose, pois deixa temporariamente alcalino o pH bucal
O bicarbonato até ajuda a remover resíduos, mas em excesso pode irritar a mucosa bucal, além disso, pode piorar a halitose, pois deixa temporariamente alcalino o pH bucal
Foto: O.Bellini / Shutterstock

Claro que é tentador poder resolver essa questão sem gastar muito dinheiro, tempo e sem divulgar para outras pessoas. Mas um dos principais problemas é que, na maioria dos casos, esses remédios caseiros podem estar escondendo algo mais sério.

“É muito comum eles mascararem ou camuflarem o hálito ruim sem combater o problema em sua origem, o que pode ser perigoso, uma vez que a halitose recorrente pode ser um sinal de que algo está em desordem no organismo, podendo incluir problemas de saúde importantes como diabetes, doença renal e hepática”, diz Maria Cecília Aguiar, presidente da Associação Brasileira de Halitose (ABHA).

Isso sem contar que eles apenas podem estar te dando a ideia de uma falsa cura. “Muitas vezes o cheiro desagradável volta a incomodar quando acaba a ação dessas substâncias. Comparo essas receitas a “enxugar gelo”, pois a pessoa precisa reutilizá-las frequentemente, criando dependência. Como o problema não é resolvido, a pessoa tende a ficar insegura, com mudanças de comportamento e prejuízos nos relacionamentos”, diz a especialista.

Novos problemas
E não vá pensando você que não custa tentar, afinal, substâncias naturais não vão te fazer mal algum. Tudo que é usado em excesso e frequentemente pode trazer efeitos indesejáveis.

“É o caso do limão, que favorece um bom hálito por estimular a salivação, mas que, em excesso, pode causar erosão ácida e sensibilidade nos dentes, além de desconfortos estomacais”, diz Maria Cecília.

A especialista ainda cita o cravo da índia, que muitas pessoas costumam mascar para eliminar a halitose, pois ele é rico em um óleo antisséptico chamado eugenol (usado inclusive em materiais odontológicos).

“Mas o seu uso continuado é irritante para a mucosa bucal, favorecendo a descamação de suas células que se desprendem e se depositam sobre a língua na forma de saburra, um dos principais inimigos do bom hálito”, diz Maria Cecília.

Receitas mais populares
Além de pingar gotas de limão na língua e mascar cravo da índia, Maria Cecília nos citou uma vasta lista de receitas caseiras muito populares que também prometem acabar com a halitose. Porém, tome nota: nenhuma delas é melhor que procurar um especialista no assunto.

Consumir condimentos como canela e gengibre ou ervas frescas como hortelã e salsinha é uma prática comum contra a halitose, pois estimula a salivação. “Além disso, estudos mostram que algumas substâncias ricas em clorofila podem servir como desodorantes contra a halitose transitória causada por alimentos. Com moderação, podem ser boas opções nesse caso específico”, diz a especialista.

Beber chás como verde, macela, erva doce, cidreira e camomila também é uma tática muito usada por pessoas que querer tratar a halitose sozinha. Assim como fazer bochecho ou borrifar água oxigenada na boca.

“No caso dos chás, não há evidências suficientes que embasem o uso deles para combater a halitose. A água oxigenada realmente é um forte antisséptico, mas seu uso continuado pode alterar o paladar, irritar as papilas gustativas de língua (que podem reagir ficando crescidas, facilitando o acúmulo de saburra língua) e até mesmo favorecer o câncer. Contudo, hoje há no mercado produtos com o peróxido de hidrogênio estabilizado, que tornam o uso da substância seguro”, diz a especialista.

Ainda constam nessa lista de remédios caseiros, bochechar ou aplicar direto na língua uma solução a base de bicarbonato de sódio, fazer bochechos com água e sal e usar própolis.

“O bicarbonato até ajuda a remover resíduos, mas em excesso pode irritar a mucosa bucal. Além disso, pode piorar a halitose, pois deixa temporariamente alcalino o pH bucal, o que favorece a volatilização de gases ricos em enxofre produzidos pelas bactérias da boca, que são eliminados com o odor característico de ovo podre”, diz Maria Cecília.

O sal em grandes quantidades também pode irritar a mucosa e o própolis, apesar de ser um excelente antisséptico natural, geralmente é encontrado na forma de tintura, apresentação que contem álcool na composição. O álcool também causa irritação na boca, estimulando a descamação de suas células, o que contribui para o acúmulo da saburra.

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.

compartilhe

publicidade
publicidade