Vai colocar aparelho? Exija que todos os exames sejam feitos

Documentação ortodôntica mostra crescimento e desenvolvimento da face, problemas nas raízes e visão geral da boca

23 nov 2016
08h00
  • separator
  • comentários

Quando o paciente e o dentista especializado decidem juntos que é a hora que colocar um aparelho ortodôntico é porque eles já passaram por algumas fases cheias de conversas, analises e exames. Colocar aparelho por estética (para parecer deslocado ou mais jovem) ou sem nenhum exame prévio pode te trazer muito mais problema do que o que já existia ou pior, pode estragar um sorriso que era perfeito.

A combinação da documentação ortodôntica com o exame clínico feito por um especialista será a garantia de um tratamento bem sucedido
A combinação da documentação ortodôntica com o exame clínico feito por um especialista será a garantia de um tratamento bem sucedido
Foto: luckyraccoon / Shutterstock

Para Alexandre da Veiga Jardim, ortodontista e autor do blog Ortodontia Descomplicada, a combinação da documentação ortodôntica com o exame clínico feito por um especialista será a garantia de um tratamento bem sucedido. Mas para isso, todos os exames devem ser exigidos.

“A documentação normalmente pedida é a radiografia panorâmica (em que todos os dentes podem ser observados), a radiografia em norma lateral (em que se observa a cabeça do paciente lateralmente), as periapicais (radiografias dos incisivos), os modelos de gesso e as fotografias. Alguns ortodontistas podem pedir também exames específicos para cada caso, como tomografias e radiografias para avaliação de assimetrias ou de outras alterações”, diz o especialista.

Importância dos documentos
A partir desses documentos, uma minuciosa análise começa. O ortodontista vai utilizar a radiografia em norma lateral para avaliar o crescimento e o desenvolvimento da face do paciente, o que é importante em pacientes jovens e cirúrgicos.

Já as radiografias periapicais mostram se o paciente apresenta algum tipo de comprometimento nas raízes dos incisivos (dentes da frente). “Já que esses dentes podem sofrer reabsorções radiculares durante o tratamento ortodôntico com maior frequência, o acompanhamento radiográfico deles durante o tratamento é muito importante”, diz Alexandre.

Radiografias panorâmicas são importantes para a avaliação de dentes fora de posição, dentes que não se desenvolvem e dentes que se desenvolveram em maior número que o normal. “Além do mais, muitos achados incidentais podem acontecer nesses exames. Esses achados são problemas e doenças que são detectados por acaso. Existem casos de tumores ou lesões que já foram encontradas em exames para ortodontia”, diz o dentista.

Além do mais, Alexandre nos alerta sobre o aspecto legal da coisa: o tratamento ortodôntico é um processo que pode levar algum tempo. O registro de como o paciente se encontrava no início do tratamento é extremamente importante para resolver possíveis conflitos entre o paciente e o ortodontista de maneira mais confiável.

Aparelho proibido?
Mas será que é possível que esses exames revelem que uma pessoa não pode usar aparelho? Segundo Alexandre, é pouco provável, mas eles mostram se há problemas mais urgentes a serem tratados antes de iniciar o tratamento ortodôntico.

“Pacientes com tendências a reabsorção radicular devem ser monitorados radiograficamente. Problemas periodontais (inflamação na gengiva e no osso que sustenta o dente) também devem ser avaliados previamente ao tratamento ortodôntico por um periodontista. Problemas de DTM (dor de cabeça e ruídos na articulação da mandíbular) devem ser avaliados por um especialista em dor orofacial antes de começar a ortodontia. Finalmente, o endodontista deve avaliar possíveis suspeitas de dentes com alterações pulpares (dor, sensibilidade e alteração de cor) que podem necessitar de um tratamento de canal”, diz o especialista.

Aparelho de camelô
Depois de todas essas explicações sobre a importância da documentação ortodôntica, não é preciso nem falar o quão perigoso pode ser colocar um aparelho sem a supervisão de um profissional, sem exames ou apenas por estética.

“Apesar da moda do "aparelho de camelô" já ter passado, ainda existe essa prática, principalmente em pacientes mais jovens. O que deve ficar claro é que o tratamento ortodôntico é um tratamento de saúde como qualquer outro, com benefícios e efeitos colaterais. Servir de "enfeite" não é um benefício, porém, o paciente vai sofrer com os efeitos colaterais da mesma maneira. Se o tratamento não for feito por um especialista, existem riscos ainda maiores como o de perda dental” diz o especialista.

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade