Vitamina D e cálcio evitam atrasos no tratamento ortodôntico

O enfraquecimento dos dentes, gengivas e ligamentos pode causar danos na estrutura bucal e atrasar a movimentação dentária

12 jul 2016
08h00
  • separator
  • comentários

Quando uma pessoa inicia um tratamento ortodôntico o dentista lhe passa uma lista de cuidados necessários para que o procedimento corra da melhor maneira possível. Encontram-se nessa lista dicas de higienização e hábitos que devem ser evitados e adquiridos. Entre tantas regras, ingerir mais alimentos com vitaminas D e cálcio pode ser uma grande sacada, pois esses nutrientes evitam atrasos no tratamento ortodôntico.

Caso a pessoa não tenha muita exposição ao sol, é essencial obter vitamina D através de alimentos como óleo de fígado de bacalhau, ovo, ostras, suco de laranja, atum enlatado, cogumelos, sardinha, salmão, bife de fígado e leite
Caso a pessoa não tenha muita exposição ao sol, é essencial obter vitamina D através de alimentos como óleo de fígado de bacalhau, ovo, ostras, suco de laranja, atum enlatado, cogumelos, sardinha, salmão, bife de fígado e leite
Foto: Yaicin Sonat / Shutterstock

O cálcio é uma substância essencial para construção e a manutenção dos ossos, dentes e gengivas. Já a vitamina D promove a absorção e retenção do próprio cálcio e do fósforo, ajudando no desenvolvimento dos ossos, na mineralização dos dentes, no funcionamento do sistema imunológico e no alívio da inflamação.

Mas não são só os ossos  do corpo  (e os dentes) que precisam do cálcio, não. O cálcio é uma substância vital para todo o corpo humano. O coração precisa dele para bater, os músculos para contrair e relaxar, o sangue para coagular e seus nervos para transmitir mensagens.

“Mas como não temos o poder de fabricar nosso próprio cálcio, precisamos nos preocupar em ingeri-lo. E é aí que tudo se conecta. Se não ingerimos a quantidade suficiente de cálcio para suprir todas as necessidades do nosso corpo, ele, para sobrevier, começa a retirar esse nutriente dos ossos. Se isso for se repetindo ao longo dos anos sem que o cálcio seja devidamente reposto, os ossos e os dentes vão se tornar fracos”, diz Fabiana Mollër Dias, nutricionista da clínica Viva a Vida.

Tratamento ortodôntico
Durante o tratamento ortodôntico não apenas os dentes sofrem movimentação, mas os ossos, ligamentos e gengiva também passam por mudanças importantes. Assim, quando o aparelho aplica uma força no dente é gerada uma reação inflamatória que causa pequenas áreas de reabsorção óssea e de neoformação.

“Essa inflamação ocorre nos primeiros dias após a consulta e depois o osso passa por um processo fisiológico de regeneração óssea. Somente desta forma o dente é capaz de sair de uma posição para outra. Para que este processo ocorra de forma saudável é essencial que o indivíduo apresente uma saúde óssea equilibrada, e para isso os níveis de cálcio e vitamina D são essenciais”, diz Aline Dias, ortodontista da A Clínica Oral.

Sem atrasos
Com a saúde óssea equilibrada, o tempo do tratamento ortodôntico fica dentro do previsto, pois o consumo de alimentos com cálcio e vitamina D colabora para que a movimentação do dente aconteça de forma saudável. No entanto, se o paciente apresentar, ao longo do tratamento, problemas periodontais que envolvam a gengiva e o osso que segura o dente, a movimentação ortodôntica terá que ser interrompida para que o problema seja tratado.

“Com isso, ocorre o atraso e, algumas vezes, o comprometimento dos resultados do tratamento ortodôntico. Portanto, para que o tratamento acabe mais rápido é importante sim que exista, além da manutenção da saúde geral do paciente, uma preocupação com a alimentação saudável, colaboração com o tratamento e cuidados essenciais com o aparelho e principalmente com a escovação”, diz a especialista.

Onde encontrar?
E não há desculpas para não ingerir esses nutrientes, afinal, eles são encontrados em alimentos normalmente consumidos pelas pessoas como leite, iogurte, feijão branco, brócolis, laranja, couve, sardinha, semente de gergelim, linhaça e amêndoas.

“Já a principal maneira para se obter vitamina D é através dos raios ultravioleta do sol, que estimulam a pele a sintetizá-la. Mas caso a pessoa não tenha muita exposição ao sol, é essencial obter vitamina D através de alimentos como óleo de fígado de bacalhau, ovo, ostras, suco de laranja, atum enlatado, cogumelos, sardinha, salmão, bife de fígado e leite”, diz Aline.

Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade