1 evento ao vivo

Três xícaras de café por dia podem reduzir risco de infarto

Pesquisa mostrou que bebida 'impede' obstrução das artérias

30 ago 2015
12h42
  • separator
  • comentários

Beber três xícaras de café por dia pode prevenir contra ataques cardícaos e infartos, sugere novo estudo. Pesquisadores concluiram que pessoas com costume de consumir a bebida diariamente apresentam menos escore de cálcio nas artérias, que é o grande responsável por causar doenças cardiovasculares. As informações são do Daily Mail.

Foto: iStock

Siga Terra Estilo no Twitter

Conforme explicam os médicos que conduziram a pesquisa, depósitos de escore de cálcio nos vasos sanguíneos obstruem as artérias, e podem levar a infartos e ataques do coração. 

Para chegar aos resultados, os pesquisadores estudaram cerca de 25 mil homens e mulheres coreanos com idade média de 41 anos e sem histórico de doenças cardíacas. Os voluntários foram separados em cinco grupos: aqueles que não consumiam café; que tomavam uma xícara por dia; de uma a três xícaras por dia; três a cinco xícaras por dia; mais de cinco xícaras da bebida por dia. 

A análise mostrou que as taxas de cálcio nos vasos sanguíneos era de aproximadamente 0,77 para aqueles que consumiam uma xícara de café por dia; 0,66 para quem ingeria até três xícaras; 0,59 para o grupo de até cinco xícaras; 0,81 entre aqueles que bebiam mais de cinco xícaras por dia. 

As pessoas que consomem de uma a três xícaras de café são o segundo grupo com menos chances de terem as artérias obstruídas, e, portanto, de sofrerem infartos ou ataques cardíacos.

Os autores do estudo concluiram que "há uma evidência que liga inversamente o consumo de café com riscos de doenças cardiovasculares", afirmou um dos médicos. Ainda assim, eles alertam que mais pesquisas são necessárias para confirmar os resultados.

Repercutindo as evidências do estudo, a nutricionista britânica Victoria Taylor alertou para outra provável falha na associação inversa entre ingestão de café e risco de tais doenças. "Precisamos tomar cuidado ao generalizar esses resultados porque são baseados na população da Coreia do Sul, que tem uma dieta e estilo de vida muito particulares". 

 

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade